Otalgia (dor de ouvidos)

Fonte:

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação e validação Científica:

Dr. Tiago Villanueva


O que é?

A dor num ou em ambos os ouvidos pode ocorrer por muitas razões, algumas não relacionadas com o próprio ouvido. Quando a dor é causada por um problema otológico, a razão mais comum é uma obstrução da passagem entre o ouvido médio e a parte posterior da garganta. Esta passagem é denominada trompa de Eustáquio.

O ouvido médio é uma cavidade de pequenas dimensões, preenchida por ar, situada imediatamente atrás do tímpano, uma membrana da espessura de um papel. Normalmente, o ar entra no ouvido médio através da trompa de Eustáquio, igualando a pressão entre o ouvido médio e o ouvido externo. A trompa de Eustáquio drena igualmente o líquido do ouvido médio. Quando este tubo fica obstruído e o ar e o líquido não conseguem fluir livremente, a pressão aumenta no ouvido, causando dor.

Se o líquido situado atrás do tímpano ficar infectado por um vírus ou por uma bactéria, causa uma infecção do ouvido médio que pode levar ao aparecimento de dores e de febre.

Outras causas de dor relacionadas com o ouvido incluem:

  • Traumatismo
  • Inflamação e infecção no canal auditivo (o canal situado entre o tímpano e a parte exterior do ouvido). Esta situação é frequentemente referida como ouvido do nadador.
  • Infecção do ouvido externo e do lóbulo da orelha (celulite).
  • Nevralgia, dor causada por uma irritação dos nervos no ouvido.

A dor de garganta, ou odinofagia, ou um problema nas articulações temporo-maxilares, denominado distúrbio da articulação temporo-maxilar, podem ser sentidas ao nível do ouvido.

Quando uma grande quantidade de cerúmen bloqueia o ouvido, a pessoa pode sentir pressão, mas isto geralmente não causa dor.

Manifestações clínicas

A dor de ouvidos é mais frequentemente descrita como uma sensação de pressão no ouvido. Esta sensação pode começar de forma gradual ou súbita e pode ser muito intensa. Outros sintomas, tais como uma perda da acuidade auditiva, febre ou uma sensação de mal-estar, indicam geralmente a presença de uma infecção no ouvido.

Quando o canal auditivo se encontra inflamado ou quando ocorre uma ruptura do tímpano, pode verificar-se a drenagem de líquido do ouvido. Se o tímpano romper devido a uma infecção do ouvido médio, constata-se frequentemente um alívio da dor devido à redução da pressão. Nas crianças mais jovens, os únicos sinais de uma infecção no ouvido podem ser a febre, a irritabilidade e o facto de a criança mexer na orelha.

Diagnóstico

Os adultos e as crianças mais velhas com uma dor ligeira no ouvido que não apresentam febre nem diminuição da acuidade auditiva geralmente não necessitam de consultar um médico. Este tipo de dor é geralmente causado por uma obstrução da trompa de Eustáquio.

Se a dor de ouvidos for mais intensa ou se existirem outros sintomas, é boa ideia consultar um profissional de saúde. O médico irá examinar os ouvidos, o nariz e a garganta do doente e irá usar um aparelho denominado otoscópio (um instrumento com iluminação) para observar o interior dos ouvidos e para identificar a presença de vermelhidão e a acumulação de líquido atrás do tímpano. O médico pode soprar um jacto de ar através do otoscópio para o ouvido para verificar se o tímpano se move normalmente.

O médico pode avaliar a audição. Uma forma de o fazer consiste em verificar até que ponto a pessoa consegue ouvir o som da fricção dos dedos próximo do ouvido.

Duração esperada

Uma dor de ouvidos irá persistir até o problema que está a causar este sintoma desaparecer ou ser tratado. Se a dor for devida a uma obstrução da trompa de Eustáquio, um descongestionante de venda livre pode ajudar a desobstrui-la. O paracetamol, o ibuprofeno ou o naproxeno irão diminuir a dor até a situação subjacente ter sido tratada ou tiver desaparecido.

Prevenção

Algumas pessoas, particularmente as crianças mais jovens, são propensas a apresentarem dores de ouvidos recorrentes. Se uma criança continuar a ter infecções frequentes nos ouvidos, o médico pode inserir cirurgicamente um tubo de ventilação no tímpano para evitar que o ouvido fique obstruído.

 As crianças alimentadas ao peito apresentam uma menor probabilidade de desenvolverem infecções nos ouvidos, uma vez que o leite materno contém anticorpos que ajudam a proteger o bebé das infecções. Além disso, quando um bebé mama de um biberão, existe uma maior probabilidade do líquido entrar para a trompa de Eustáquio, particularmente se o bebé beber do biberão enquanto se encontra deitado em decúbito dorsal. Por este motivo, é preferível manter o bebé pelo menos numa posição semi-erecta durante a alimentação.

As crianças apresentam uma maior probabilidade de sofrer de dores de ouvidos se:

  • Tiverem tido infecções nos ouvidos antes do primeiro ano de vida
  • Estiverem frequentemente expostas ao fumo de cigarro
  • Tiverem uma história familiar de infecções nos ouvidos
  • Frequentarem um infantário
  • Tiverem nascido prematuras ou com um baixo peso à nascença
  • Forem do sexo masculino (os rapazes apresentam mais infecções do ouvido médio do que as raparigas).

Tratamento

Os medicamentos analgésicos de venda livre são geralmente suficientes para o controlo da dor. Alguns exemplos incluem o paracetamol, o ibuprofeno e o naproxeno. Repousar o ouvido infectado sobre uma almofada morna (não muito quente) pode proporcionar algum alívio. No caso da trompa de Eustáquio se encontrar obstruída, os medicamentos frequentemente utilizados incluem os descongestionantes e os anti-histamínicos.

As crianças com dores de ouvidos não devem tomar aspirina sem a aprovação do médico, uma vez que este medicamento foi associado à síndrome de Reye, uma doença potencialmente fatal que pode ocorrer nas crianças que sofrem de determinadas infecções virais.

Se um doente apresentar uma infecção no ouvido, podem não ser necessários antibióticos. Um ensaio de um descongestionante e um medicamento analgésico pode ser suficiente. No entanto, se os sintomas não estiverem a melhorar ao fim de 2-3 dias ou se estiverem a agravar-se rapidamente, deve ser contactado um médico para discutir a possibilidade de instituir tratamento com um antibiótico. Se os sintomas forem intensos quando o doente consulta pela primeira vez o médico, pode ser aconselhável iniciar imediatamente um antibiótico.

Quando contactar um profissional

Consulte o médico se você ou o seu filho apresentar febre ou diminuição da acuidade auditiva concomitantemente com uma dor de ouvidos. Consulte o médico se desenvolver pressão nos ouvidos que dura vários dias, mesmo que não apresente outros sintomas.

Prognóstico

A maior parte das dores de ouvidos desaparecem dentro de alguns dias. Mesmo as infecções dos ouvidos mais prolongadas apresentam um prognóstico favorável.

Informação adicional

Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral
http://www.apmcg.pt
E-mail: Apmcg@apmcg.pt

Sociedade Portuguesa de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
http://www.sporl.pt
E-mail: cristinavicente@veranatura.pt
Tel: 21712778 / 79 / 8; 217120204

American Academy of Otolaryngology — Head and Neck Surgery
One Prince St.
Alexandria, VA 22314-3357
Telefone: (703) 836-4444

http://www.entnet.org/

About these ads

Uma resposta to “Otalgia (dor de ouvidos)”

  1. Dor de ouvidos « Programa Harvard Medical School – Portugal Says:

    [...] o artigo aqui: Otalgia (dor de ouvidos) Share this:TwitterFacebookGostar disto:GostoBe the first to like this . Na categoria Sinais e [...]


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 180 outros seguidores

%d bloggers like this: