Infeção por VIH/SIDA nos idosos

Drª Joana Fernandes

 

A pandemia da infeção por VIH/SIDA tem sofrido alterações importantes, particularmente nos países desenvolvidos.

Inicialmente esta infeção afetava grupos de risco: toxicodependentes, homossexuais e trabalhadores de sexo. Hoje os heterossexuais são os principais responsáveis pelos novos casos de infeção por VIH/SIDA.

Também as faixas etárias mais afetadas têm sofrido alterações. Nas duas primeiras décadas da pandemia o escalão entre os 15 e os 49 anos era o mais atingido. Nos últimos anos os idosos são o grupo etário onde se verifica o maior crescimento da taxa de incidência. Na verdade, o número de idosos acima dos 65 anos na altura do diagnóstico cresceu 10 vezes nos últimos 10 anos. A incidência é ser maior nas idosas que nos idosos.

A falta de crença que não existe sexualidade acima dos 65 anos tem descuidado as campanhas de sensibilização orientadas para este grupo etário, no qual a principal via de transmissão da infeção por VIH/SIDA é a heterossexual. De facto, apenas um em cada seis idosos utiliza preservativo, o único método eficaz na prevenção da transmissão deste vírus.

Por outro lado, o diagnóstico da infeção por VIH/SIDA é mais tardio neste grupo etário pois, além da evolução para SIDA ser mais rápida, os sintomas precoces de infeção (cansaço, perda de apetite, perda de peso, perda de memória) podem ser confundidos com sinais de envelhecimento.

O tratamento da infeção por VIH/SIDA nos idosos também tem particularidades, verificando-se uma maior taxa de toxicidade medicamentosa nesta faixa etária. A terapêutica é eficaz no controlo da carga vírica, sendo no entanto menos potente na subida dos linfócitos T CD4+.

A existência de co-morbilidades nas faixas etárias mais avançadas (hipertensão, dislipidemia, diabetes, insuficiência renal, etc) tornam o seguimento destes doentes um desafio multidisciplinar.

Por último, o estigma social (ainda) associado a esta patologia, o medo da rejeição pela família, a falta de apoio a doentes infetados pelo VIH/SIDA nesta faixa etária, como lares de terceira idade que aceitem infetados por este vírus, são determinantes importantes na orientação destes doentes.

É necessário atuar nesta faixa etária e inverter esta tendência! Como?

  1. Evitar estereótipos de idade e aceitar que existe sexualidade acima dos 65 anos
  2. Realizar campanhas de prevenção orientadas para esta faixa etária
  3. Requisitar o teste do VIH o mais precocemente possível e quase como “rotina”
  4. Realizar estudos multicêntricos que permitam individualizar o tratamento destes doentes
Anúncios
Publicado em Doenças. Etiquetas: , , , . 1 Comment »

Uma resposta to “Infeção por VIH/SIDA nos idosos”

  1. jorge manuel bastos das neves Says:

    Muito importante esta actualização acerca do HIV/SIDA.
    Os idosos merecem que sobre eles se fale, não os marginalizando.
    Bom trabalho.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: