Rastreio pré-natal (combinado do 1º trimestre, do 2º trimestre e integrado)

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. Luis Graça

Leia aqui o artigo:

O que é o teste?

Determinadas análises de sangue da grávida e as ecografias fetais permitem, respectivamente, avaliar os níveis de proteínas e de hormonas que estão a ser produzidas pelo feto e examinar a forma como este se está a formar. Os níveis de certas substâncias, em combinação com os achados precoces na ecografia e com a idade materna, podem permitir aos médicos identificar gravidezes que apresentam um risco mais elevado de malformações congénitas, tais como a síndrome de Down ou os defeitos do tubo neural (problemas do cérebro e da medula espinhal). Se os exames de rastreio sugerirem a presença de problemas, o médico pode oferecer a realização de exames adicionais, tais como uma amniocentese ou uma biopsia das vilosidades coriónicas, para confirmar os achados.

Como é efectuada a preparação para o teste?

Antes de realizar o exame, a mulher deve ponderar cuidadosamente o que irá fazer com os resultados quando estes se encontrarem disponíveis. Os resultados destes exames de rastreio não mostram de forma segura se o feto é saudável ou tem um problema, apenas indicam um valor de risco que poderá contribuir para a decisão da grávida sobre realizar ou não exames adicionais; Uma vez que a amniocentese e a biopsia das vilosidades coriónicas (os exames que são geralmente oferecidos depois de um rastreio anormal) apresentam um pequeno risco de aborto espontâneo e atendendo a que a maior parte das pessoas com um teste de rastreio anormal decide realizar a amniocentese, esta é uma decisão importante. A mulher deve realizar o teste de rastreio apenas se considerar que a informação que proporciona a irá ajudar a tomar decisões em relação à sua gravidez.

O conjunto de exames de rastreio que pode ser utilizado durante o primeiro trimestre de gravidez é denominado “teste combinado” (uma vez que combina os valores de análises de sangue com os dados da ecografia do primeiro trimestre).

O conjunto de exames de rastreio que é mais habitualmente oferecido no segundo trimestre é denominado “teste quádruplo” (pois são doseadas quatro substâncias no sangue materno; existem outras variantes deste teste em que são doseadas menos substâncias). Este rastreio é muito menos sensível que o do 1º trimestre (“teste combinado”)

Se combinar os testes do primeiro trimestre e do segundo trimestre, este conjunto é denominado “teste integrado”.

O que acontece durante o teste?

É necessário pesar a grávida no dia (ou dias) em que é realizada a colheita de sangue e ser-lhe-á perguntado quando começou o seu último período menstrual ou qual a data prevista para o parto. A análise dos resultados levará em consideração o seu peso e estádio da gravidez para determinar se os níveis são normais.

No rastreio realizado no primeiro trimestre, o sangue é colhido entre a 10ª e a 13ª semanas de gravidez. O sangue é analisado no que respeita aos níveis de duas hormonas proteicas: a gonadotrofina coriónica humana (hCG) e a proteína plasmática associada à gravidez-A (PAPP-A). Na altura em que estes exames são efectuados é igualmente realizada uma ecografia do feto para procurar alguns dados que serão contabilizados no risco, como é o caso da espessura do tecido na parte posterior do pescoço (“translucência da nuca”).

No rastreio do segundo trimestre, é efectuada uma colheita de sangue entre a 15ª e a 20ª semanas de gravidez. O sangue é testado para determinar os níveis de até quatro hormonas e proteínas: a alfa-fetoproteína sérica materna (MSAFP), o estriol não conjugado (uE3), a inibina A e a gonadotrofina coriónica humana (hCG). Este teste é muito menos rigoroso do que o teste combinado do 1º trimestre.

Quais os riscos do teste?

Não existem riscos associados ao rastreio propriamente dito, mas existem alguns riscos associados aos exames que podem ser oferecidos se o resultado deste teste for anormal, pelo que o rastreio pode causar ansiedade nos futuros pais. Existem diversos factores que podem fazer com que o resultado de teste seja anormal, mesmo quando não existem verdadeiros problemas de saúde. Podem ainda ocorrer resultados contraditórios nas gravidezes gemelares e quando foram cometidos erros ao estimar a idade da gravidez.

É necessário fazer alguma coisa de especial quando o teste terminar?

Não.

Quanto tempo é que demora a saber-se o resultado do teste?

Os resultados do teste deverão chegar ao conhecimento do médico dentro de dois ou três dias.

Informação adicional

Associação Portuguesa de Diagnóstico Pré-Natal

www.apdpn.org.pt/

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: