Teste de Papanicolaou (colpocitologia)

Fonte: 

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. Dr. Calhaz Jorge

O que é?

O teste de Papanicolaou (ou colpocitologia) é um exame utilizado para detectar a presença de cancro e de situações pré-cancerosas do colo do útero. Se um teste de Papanicolau detectar uma lesão pré-cancerosa (uma alteração na superfície do colo do útero que pode evoluir para um cancro), o médico pode tratar ou remover o tecido anormal para prevenir a sua evolução. Se o teste de Papanicolau detectar um cancro do colo do útero nos seus estádios mais iniciais, pode ser possível tratar e curar o cancro antes que este se dissemine.

Em quase todos os casos, as alterações pré-cancerosas ou o cancro na superfície do colo do útero são causadas por uma infecção viral pelo papilomavírus humano (HPV). Alguns tipos de HPV causam verrugas genitais, enquanto outros podem causar um cancro. A maior parte das pessoas que estão infectadas pelo HPV não tem sintomas, mas pode disseminar o vírus para outras pessoas. O HPV é transmitido através de contacto sexual com uma pessoa infectada.

Um novo teste denominado teste do ADN (ou, em inglês, DNA) do HPV foi recentemente disponibilizado e alguns laboratórios usam este teste quando processam uma amostra para o teste de Papanicolaou se os resultados forem incertos. No teste de Papanicola as células são inspeccionadas ao microscópio manualmente ou por meio de um aparelho para ver se tem uma aparência normal. Com o novo teste do ADN do HPV é possível detectar partículas do papilomavírus humano de forma química. Este teste é utilizado, portanto, em associação com a visualização da amostra ao microscópio, quando tal está indicado.

O teste do ADN do HPV veio demonstrar aos investigadores até que ponto este vírus é comum. Nos Estados Unidos, entre 20 e 40% das adolescentes sexualmente activas apresentam testes positivos para uma exposição recente ao HPV e cerca de 40% das mulheres sexualmente activas entre os 20 e os 29 anos têm um resultado positivo no teste. Uma vez que o HPV é um vírus extremamente comum, muitas mulheres sexualmente activas irão apresentar pelo menos um teste de Papanicolaou não negativo na sua vida. O teste de Papanicolaou é realizado durante um exame ginecológico, sendo as células do colo do útero raspadas suavemente e enviadas para um laboratório para avaliação. ao recolha das células para o teste de Papanicolaou demora apenas alguns momentos, mas é geralmente realizado como parte de um exame ginecológico completo que pode demorar entre 5 e 20 minutos.

Para que é usado

O teste de Papanicolaou é um procedimento de rastreio importante para o cancro do colo do útero, sendo utilizado principalmente para detectar alterações pré-cancerosas que podem evoluir para uma neoplasia maligna. Em alguns casos, o teste de Papanicolaou irá igualmente detectar a presença de células cancerosas (malignas) antes de o cancro do colo do útero se tornar visível a olho nu e antes de se ter disseminado para fora de uma área localizada.

Em Portugal, é recomendado que o teste de Papanicolaou seja efectuado pelas mulheres com idades compreendidas entre 25 e 60 anos, se tiverem iniciado vida sexual. Ao fim de três testes de Papanicolau negativos com um ano de intervalo, o médico pode realizar este exame com intervalos de dois a três anos, dependendo da idade da mulher e do risco de cancro do colo do útero. Pode ser recomendada a realização de testes de Papanicolaou mais frequentes nas mulheres que apresentam um risco mais elevado de cancro do colo do útero em consequência de qualquer dos seguintes factores de risco:

  • História de relações sexuais numa idade precoce
  • Múltiplos parceiros sexuais
  • Tabagismo
  • História de infecção por determinados tipos de papilomavírus humano.

Preparação

Se possível, o teste de Papanicolaou deve ser marcado para o meio do ciclo menstrual (por volta dos dias 15 a 20) e a mulher deve evitar efectuar duches vaginais pelo menos nos três dias que antecedem a data do exame. Se a mulher estiver a utilizar um contraceptivo sob a forma de espuma ou gel, é preferível mudar para outra forma de contracepção ou e abster-se de ter relações sexuais durante dois ou três dias antes de realizar o teste de Papanicolaou, uma vez que algumas mulheres apresentam uma irritação ligeira do colo do útero sobretudo depois de utilizarem um espermicida.

Como é realizado

O teste de Papanicolaou é realizado pelo médico durante o exame ginecológico. De um modo geral, o exame ginecológico anual envolve, além do exame pélvico, um exame da mama. A mulher deverá deitar-se de costas na marquesa com as pernas afastadas, com os pés apoiados em suportes próprios e com os joelhos flectidos. O médico irá inserir um instrumento denominado espéculo na vagina para manter as paredes desta afastadas e permitir a observação do colo do útero e a realização do teste de Papanicolau.

Depois de observar o colo do útero e a vagina para verificar se existem alguns problemas visíveis, o médico irá raspar suavemente a superfície do colo do útero com uma pequena espátula para obter uma amostra de células da parte de fora do colo do útero e usar uma pequena escova para colher células do interior do colo do útero (em determinados locais, são utilizados escovilhões que permitem fazer ambas as colheitas em simultâneo). Estas amostras poderão ser colocadas num líquido e enviadas para um laboratório onde as lâminas serão preparadas e examinadas ao microscópio ou, alternativamente, preparadas imediatamente no consultório.

Seguimento

Após o exame ginecológico ter terminado, a mulher pode vestir-se e regressar às suas actividades diárias normais. Pode ocorrer a perda de uma pequena quantidade de sangue depois do exame, pelo que pode optar por usar um penso higiénico fino durante um dia. Dependendo do que tenha sido referido pelo médico, poderá receber em casa informação sobre os resultados do teste de Papanicolaou e recomendações sobre o seguimento ou ser convocada para uma consulta se algo tiver sido detectado no exame. É possível que o médico não informe imediatamente a mulher do resultado no caso de este ser negativo e apenas lho entregue na próxima consulta, o que deverá ser previamente combinado entre ambos.

Riscos

O teste de Papanicolaou constitui um procedimento seguro e indolor.

Quando contactar um profissional

O médico deve ser contactado se a mulher sentir desconforto ou hemorragia durante mais do que um dia ou se apresentar um corrimento vaginal fora do habitual depois do seu exame ginecológico.

Informação adicional

Sociedade Portuguesa de Ginecologia

http://www.spginecologia.pt/

Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral

http://apmcg.pt

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: