Sabe o que é Paralisia de Bell?

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Drª. Ana Correia

Validação Científica:

Prof. Lobo Antunes

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobre Neurologia pelo Prof. João Lobo Antunes: Sabe o que é Paralisia de Bell?

Leia o artigo aqui:

O que é?

A paralisia de Bell é uma fraqueza nos músculos de um lado da face causada por lesão do nervo facial. O nervo pode ficar inflamado e edemaciado, deixando de funcionar adequadamente.

Existem dois nervos faciais, um do lado direito da face e outro do lado esquerdo, e cada um tem vários ramos. O ramo principal controla a maior parte dos músculos de um dos dados da face, incluindo os músculos que controlam a expressão facial, os músculos dos lábios e os que fecham os olhos. Outros ramos mais pequenos vão para a língua e para o ouvido.

Por definição, a inflamação do nervo facial na paralisia de Bell não tem causa conhecida (e por isso denomina-se idiopática). Pensa-se que seja provocada por uma infecção pelo vírus herpes simplex, o mesmo vírus que causa o herpes labial. No entanto, existem outras causas infecciosas que provocam paralisia facial e que devem ser diferenciadas da paralisia de Bell. Uma delas é a síndrome de Ramsay-Hunt, que é causada pelo vírus herpes zoster, o vírus responsável pela varicela e pela zona. Uma causa infecciosa menos comum de paralisia facial é a doença de Lyme, provocada por uma bactéria que é transmitida ao Homem através da picada de uma carraça.

Manifestações Clínicas

Na maior parte dos casos, as manifestações da paralisia de Bell começam gradualmente e atingem um pico em 48 horas. Os sintomas precoces incluem uma alteração da sensibilidade numa porção da face, dor no ouvido ou em volta deste, aumento da audição e alterações no paladar. À medida que esta situação progride, o doente apresenta tipicamente dificuldade em fechar um dos olhos e nos movimentos dos lábios e pode queixar-se de não ser capaz de manter os alimentos na boca. O doente repara que um dos lados da face não mexe e que há uma assimetria da face. Os olhos podem lacrimejar menos do que o habitual.

Diagnóstico

Os médicos geralmente diagnosticam a paralisia de Bell com base no exame físico. O médico irá avaliar a força dos músculos da face, pedindo ao doente para fechar os olhos, para enrugar a testa, para sorrir e para assobiar, para verificar se existe uma diferença entre os dois lados da face. O médico irá perguntar ao doente se notou o aparecimento de quaisquer sintomas de entorpecimento ou de fraqueza noutras partes do corpo ou dificuldade na marcha. Estas manifestações não se encontram presentes em caso de paralisia de Bell mas podem surgir em associação com outras causas de paralisia facial.

O médico irá procurar uma erupção cutânea semelhante à da zona (com vesículas) na face e no ouvido. Se o doente tiver uma erupção cutânea deste tipo, especialmente se for dolorosa, o diagnóstico mais provável é síndrome de Ramsay-Hunt, causada pela reactivação do vírus herpes zoster.

Se não existirem outras manifestações e o único problema for uma fraqueza nos músculos faciais, o médico pode diagnosticar uma paralisia de Bell sem precisar de realizar exames adicionais. Pode ser pedido um doseamento de açúcar no sangue (glicemia) se o indivíduo não tiver feito essa análise recentemente uma vez que as pessoas com diabetes têm um maior risco de sofrer de paralisia facial. Em determinadas situações, também pode ser realizada uma análise de sangue para excluir a doença de Lyme, sobretudo quando à paralisia facial se associam outras manifestações.

Evolução Clínica

A maior parte das manifestações clínicas atingem um pico às 48 horas, começando a melhorar ao fim de duas semanas e voltando ao normal por volta dos seis meses. Nalguns casos, as manifestações não desaparecem completamente, mantendo-se uma fraqueza facial permanente.

Prevenção

A maior parte das manifestações clínicas atingem um pico às 48 horas, começando a melhorar ao fim de duas semanas e voltando ao normal por volta dos seis meses. Nalguns casos, as manifestações não desaparecem completamente, mantendo-se uma fraqueza facial permanente.

Tratamento

Se as manifestações forem ligeiras, pode não ser necessário tratamento. Mais frequentemente, as pessoas com paralisia de Bell são medicadas com prednisolona, um corticosteróide, para reduzir a inflamação e o edema no nervo e para diminuir a dor. Alguns médicos prescrevem uma combinação de prednisolona e de um medicamento contra o vírus herpes tomado por via oral, como o aciclovir ou o valaciclovir. Estes medicamentos são geralmente tomados durante 10 a 14 dias.

Se a paralisia de Bell estiver a afectar a capacidade para o doente fechar os olhos, a córnea pode ficar seca e susceptível a lesões traumáticas. Para prevenir esta complicação, o doente deve proteger os seus olhos do vento e da poeira usando óculos e deve tapar o olho durante a noite com um penso. Além disso, deve manter os olhos húmidos através da utilização de lágrimas artificiais aplicadas frequentemente durante o dia e lubrificando os olhos durante a noite com uma pomada oftálmica.

Outras causas de paralisia facial têm um tratamento diferente. Em caso de síndrome de Ramsay-Hunt, é necessário instituir tratamento com uma dose mais elevada de aciclovir ou de valaciclovir. A paralisia facial relacionada com a doença de Lyme é tratada com antibióticos activos contra a bactéria que causa esta doença.

Quando contactar um médico

Ao primeiro sinal de diminuição da força muscular na face ou de dificuldade em comer, beber ou fechar o olho, o médico deve ser contactado. Da mesma forma, a observação médica é importante se tiver uma dor súbita no ouvido, especialmente se observar a presença de bolhas em volta do ouvido ou no interior do canal auditivo.

Após o diagnóstico de paralisia de Bell, o doente deve contactar o médico imediatamente se começar a sentir dores no olho ou se este parecer inflamado. O aparecimento de outras queixas como fraqueza nos braços ou nas pernas, alterações visuais, tonturas, dificuldade em engolir e dores de cabeça que se agravam progressivamente, também são sinais de alarme.

Prognóstico

Embora as manifestações da paralisia de Bell sejam assustadoras, 85% das pessoas com este problema recuperam completamente ao fim de alguns meses. As crianças recuperam quase sempre totalmente.

O paladar é recuperado antes da força muscular da face. Se o paladar regressar dentro de cinco a sete dias após o início das manifestações, é mais provável que o doente venha a recuperar completamente, o mesmo acontecendo se os músculos faciais não tiverem ficado totalmente paralisados na altura em que a doença apresentou maior gravidade.

Os factores associados a um pior prognóstico incluem um grau mais elevado de incapacidade, um período mais prolongado antes dos sintomas começarem a melhorar, a idade avançada e uma dor intensa no ouvido ou em volta deste. O prognóstico da síndrome de Ramsay-Hunt não é tão bom como o prognóstico da paralisia de Bell.

Informação Adicional

Sociedade Portuguesa de Neurologia

http://www.spneurologia.org

Sociedade Portuguesa de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial

http://www.sporl.net

American Academy of Otolaryngology

http://www.entnet.org 

National Institute of Neurological Disorders and Stroke

http://www.ninds.nih.gov

Alto Comissariado da Saúde

http://www.acs.min-saude.pt

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: