Como se deve proteger contra microrganismos domésticos?

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Dr. Nuno Ferreira

Validação Científica:

Prof. António Vaz Carneiro

Leia o artigo aqui:

Protecção contra microrganismos domésticos

Os vírus e outros microrganismos estão em todo o lado. A sua pele está colonizada por milhares de microrganismos, o mesmo acontecendo com a água, o ar, a cama, os animais de estimação, as carpetes,o assento da sanita e quase todos os locais. Muitos destes micróbios vivem de forma simbiótica com os seres humanos, não causando problemas. Mas existem muitos outros que podem causar várias doenças que se manifestam por febre, erupção cutânea, mialgias e outros sintomas. Ocasionalmente causam doenças graves e mortais. Os animais, os insectos e, principalmente, os seres humanos transmitem, todos eles, microrganismos que podem fazer com que fique doente. Mesmo os objectos inanimados podem albergar agentes patogénicos. Muitos agentes patogénicos comuns podem sobreviver durante dias, semanas ou mesmo meses em superfícies secas (ver mais abaixo “Durante quanto tempo sobrevive um vírus em cima de uma mesa?”).

No entanto, não é necessário viver dentro de uma redoma. O seu sistema imunitário faz um bom trabalho ao defendê-lo da maior parte dos microrganismos (ver “O sistema imunitário: A sua protecção natural”). Pode acrescentar uma camada extra de protecção seguindo as etapas e as sugestões apresentadas neste capítulo. O principal é pensar nos locais onde é mais provável que encontre microrganismos infecciosos e tomar as medidas apropriadas. Alguém em sua casa ou no escritório está a tossir e a espirrar? Mantenha-se à distância. Lave as mãos com frequência e não partilhe utensílios. Está a passar tempo ao ar livre? Proteja-se contra os mosquitos, as carraças e as mordeduras de animais. Está a manusear alimentos? Pratique bons procedimentos de segurança no que respeita aos alimentos. Vai viajar? Faça as vacinas apropriadas, pratique uma boa higiene e use repelentes de insectos. As medidas descritas nesta secção não são infalíveis, mas irão dominuir as probabilidades de transmissão de infecções.

Quadro 2: Durante quanto tempo pode um vírus sobreviver em cima de uma mesa?

Agente patogénicoVírus

Infecções respiratórias comuns:

Adenovírus

Coronavírus

Rinovírus

Hepatite A

Hepatite B

Vírus herpes simplex 1 e 2

Vírus da imunodeficiência humana (VIH)

Vírus influenzae (vírus da gripe)

Norovírus

Coronavírus associado à síndrome respiratória aguda grave

Bactérias

Campylobacter jejuni

Chlamydia trachomatis

Escherichia coli

Haemophilus influenzae

Helicobacter pylori

Salmonella typhi

Staphylococcus aureus

Tempo de sobrevivência numa superfície seca

7 dias a 3 meses

3 horas

2 horas a 7 dias

2 horas a 60 dias

Mais de uma semana

4,5 horas a 8 semanas

Mais de 7 dias

1 a 2 dias

8 horas a 7 dias

3 a 4 dias

Até 6 dias

Menos de 30 horas

1,5 horas a 16 meses

12 dias

Até 90 minutos

6 horas a 4 semanas

7 dias a 7 meses

Adaptado em parte de: BMC Infectious Diseases 2006

Aspectos básicos: uma boa higiene das mãos

A primeira linha de defesa consiste em manter os microrganismos sob controlo seguindo bons hábitos de higiene pessoal. Contenha a infecção antes de esta ter início e evite transmiti-la a outras pessoas através das seguintes medidas:

  • Lave as suas mãos com água e sabão antes de preparar os alimentos e depois de usar a casa de banho.
  • Cubra a boca e o nariz com um lenço quando espirrar ou tossir e deite-o fora.
  • Lave e proteja com um penso todos os ferimentos. Qualquer ferimento ou mordedura animal ou humana deve ser examinada por um médico.
  • Não mexa nas feridas em cicatrização ou nas cicatrizes e não esprema as borbulhas.
  • Não partilhe pratos, copos ou talheres com pessoas potencialmente infectadas.
  • Evite o contacto directo com os guardanapos, lenços de papel ou de tecido ou objectos semelhantes utilizados por outras pessoas.

Reveja a sua vacinação

Muitas infecções graves podem ser prevenidas através da vacinação (ver “As novas vacinas: necessita delas?”). Embora possam causar alguns efeitos secundários comuns, tais como uma dor temporária ao nível do braço onde foi administrada a injecção ou febre baixa, as vacinas são, de um modo geral, seguras e eficazes. Consulte o seu médico no que respeita às suas vacinas. De um modo geral:

  • As crianças devem receber as vacinas recomendadas na infância.
  • Os adultos devem certificar-se de que as suas vacinas estão actualizadas (ver o Quadro 2).
  • Quando viajar para o estrangeiro, verifique com o seu médico se necessita de vacinas adicionais.

Pratique técnicas de segurança alimentar

Embora a maior parte dos casos de infecções transmitidas pelos alimentos não seja perigosa, algumas podem conduzir a problemas médicos graves, incluindo a insuficiência renal e a meningite. Pode prevenir a maior parte das infecções transmitidas pelos alimentos no seu agregado familiar ao preparar e armazenar os alimentos de forma segura. As seguintes precauções irão ajudar a matar os microrganismos que estão presentes nos alimentos que compra e irá ajudá-lo a evitar introduzir novos microrganismos nos alimentos em casa:

  • Lave a carne, as aves e o peixe em água corrente antes de a cozinhar. Lave todos os frutos e vegetais com água corrente antes de os cozinhar e servir.
  • Lave as mãos com água e sabão antes e depois de manusear carne crua.
  • Separe os alimentos crus e cozinhados e não use os mesmos utensílios ou placas para cortar a carne cozinhada que foram utilizados para preparar a carne crua sem os lavar entre as utilizações.
  • Cozinhe os alimentos cuidadosamente, utilizando um termómetro para a carne para assegurar que a totalidade das aves são cozinhadas a 80ºC, a carne para assar e os bifes a 65ºC e a carne picada a 70ºC. Cozinhe o peixe até este ficar opaco.
  • Descongele os alimentos apenas no frigorífico ou no microondas.

Pratique sexo seguro

A única forma segura de prevenir as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) é não ter relações sexuais ou outro contacto sexual. Obviamente que esta situação não é a mais desejável para todos.Portanto, a melhor opção depois desta é cumprir estas orientações para um sexo mais seguro:

  • Tenha contactos sexuais apenas com um parceiro;
  • Tanto a pessoa como o seu parceiro devem efectuar o teste para o VIH e outras doenças sexualmente transmissíveis.

Se tiver relações sexuais com um novo parceiro, certifique-se de que este é testado e tome as seguintes precauções:

  • Utilize preservativos de látex ou de poliuretano ou um preservativo feminino de todas as vezes que tem relações sexuais.
  • Para as relações sexuais orais, utilize um preservativo masculino de látex ou de poliuretano ou um preservativo feminino.
  • Para as relações sexuais anais, utilize um preservativo masculino de látex ou de poliuretano.

Sugestão rápida: Boa técnica de lavar as mãos

Depois de tossir ou de espirrar esfregue todas as partes das mãos e dos dedos durante aproximadamente 20 segundos. Uma escova de unhas pode ser útil. Se não estiver disponível água, use um gel para as mãos de base alcoólica.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: