Uma colaboração transatlântica para melhorar os cuidados de saúde na gravidez

Prof. Diogo Campos

Leia o artigo aqui:

A redução do aporte de oxigénio ao bebé durante a gravidez e no trabalho de parto continua a ser uma causa importante de mortalidade perinatal em todo o mundo, bem como de sequelas permanentes no recém-nascido e de sofrimento para as famílias envolvidas.

O Programa Harvard Medical School-Portugal está a utilizar a experiência de três grupos de investigação, localizados em ambos os lados do Atlântico, para proporcionar uma monitorização dos sinais fetais que seja mais cómoda para a grávida e mais segura para o bebé.
A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, o Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa e o Beth Israel Deaconess Medical Center em Boston juntaram-se nesta parceria como o objetivo de desenvolver a actual tecnologia de monitorização da frequência cardíaca do bebé, de forma a permitir uma redução do número de bebés que são afectados pelas consequências da baixa oxigenação no ambiente intra-uterino.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: