Perguntas Frequentes sobre o seu filho de 2 anos

A minha filha começou a mexer nos genitais em público. O que devo fazer?
As crianças são naturalmente curiosas sobre o seu corpo e descobrem os seus genitais da mesma forma que descobriram os dedos das mãos e dos pés. As crianças mexem frequentemente na região genital durante as mudanças das fraldas e quando estão despidas para tomar banho. Enquanto tocam nos genitais, as crianças sentem frequentemente prazer e podem continuar a tocar-se para proporcionar prazer ou auto-conforto (masturbação).
A masturbação ocasional é muito comum e faz parte do desenvolvimento sexual normal. A auto-estimulação não significa que a criança foi alvo de abuso sexual ou que irá ser promíscua numa fase posterior da vida. Muitas crianças masturbam-se quando estão aborrecidas ou cansadas, pelo que deve ponderar ignorar a masturbação ao deitar ou durante a sesta. Noutras alturas, procure distrair o seu filho com outras actividades.

As crianças não têm uma noção de modéstia antes dos 3 a 4 anos de idade, pelo que não é embaraçoso para elas tocarem-se em público. No entanto, uma vez que a masturbação em público pode ser embaraçosa para si, é apropriado estabelecer limites para este comportamento. Quando o seu filho se masturba em público, lembre-lhe delicadamente que pode tocar-se em privado (por exemplo, no quarto ou na casa de banho), mas que não deve fazer isto em frente de outras pessoas. Esta ideia deve ser partilhada de forma consistente com o seu filho por todas as pessoas que cuidam dele.
Se a masturbação do seu filho parecer compulsiva ou estiver a interferir com as suas actividades regulares, deve discutir a situação com o pediatra. Em alternativa, deve abordar a situação de forma casual – a auto-exploração constitui uma parte normal do desenvolvimento.
Como devo lidar com as birras do meu filho?
 Quase todas as crianças apresentam pelo menos uma birra ocasional: episódios de choro, lamentos, gritos, em que batem com os pés no chão ou com a cabeça e que ocorrem quando elas estão zangadas ou frustradas. As birras podem igualmente incluir suster a respiração ou comportamentos mais agressivos, tais como bater ou dar pontapés. As birras começam tipicamente por volta do primeiro ano de idade, continuam ao longo da primeira fase da infância e desaparecem geralmente por volta dos 4 anos.
As birras são consideradas uma parte normal do desenvolvimento. As crianças estão a procurar desenvolver uma sensação de autonomia e independência, embora ainda não sejam capazes de expressar os seus sentimentos através de palavras utilizando o seu vocabulário relativamente restrito. Quando a criança não consegue fazer alguma coisa por ela própria ou quando não consegue obter aquilo que deseja, a sua frustração com a situação pode conduzir a uma birra. Por vezes a criança pode ficar suficientemente aborrecida para se sentir fora de controlo, tal como quando lhe tira alguma coisa. As birras são, de um modo geral, mais frequentes quando as crianças estão cansadas, com fome ou desconfortáveis devido ao facto de terem dificuldade em comunicar sentimentos ou de controlar as suas emoções.
Durante uma birra é importante manter a calma. Gritar e perder o controlo apenas ensina o seu filho a fazer o mesmo. Uma vez que muitas crianças têm birras para chamar a atenção ou para conseguirem alguma coisa que querem, é geralmente preferível ignorá-las, sempre que possível. Pode igualmente ser útil modificar o seu meio ambiente. Por exemplo, se ocorrer uma birra quando está num local público, pegue simplesmente na criança e saia. Se estiver em casa, pode mudar a criança para outra divisão da casa ou sair com ela. Se ela estiver a revelar um comportamento violento e achar que ela é uma ameaça para si própria ou para as outras crianças que a rodeiam, mude-a para um local calmo e agarre-a de forma segura até ela começar a acalmar-se. Tal como já pode ter verificado, argumentar com ela não irá ajudar a resolver a situação ? as crianças pequenas ainda não são capazes de argumentar.
É importante ser consistente durante os episódios de birra. Não ceda às exigências. Procure não rir – isso apenas servirá para encorajar o comportamento que está a procurar eliminar. O seu filho deve aprender que irá manter-se firme nas suas decisões e que não vai mudar de ideias.
Lembre-se de que as birras fazem parte do desenvolvimento normal e que não são um resultado de uma educação errada.
Conteúdo proveniente de Harvard Medical School
Revisão:
Dr. Nuno Ribeiro Ferreira
Editor Médico Programa HMS-PT
Interno do Internato Complementar de Medicina Interna, Hospital São Francisco Xavier.
Validação:
Professora Jeni Canha
Especialista em Pediatria
Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Mais Ciência, Melhor Saúde: o Programa HMS-PT todos os dias na TSF, um pouco antes das 08h00 e das 18h00. Não perca hoje «Perguntas frequentes sobre o seu filho de 2 anos de idade», pela Dr.ª Rosa Gallego, Médica de Família do Centro de Saúde de Vila Franca de Xira.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: