O cálcio arterial pode ajudar a prever o risco cardíaco

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 



Um estudo recente sugere que a medição do cálcio nas artérias pode ajudar a mostrar se uma pessoa pode beneficiar com a toma de um medicamento do grupo das estatinas. Este estudo recente incluiu 2.083 adultos que não apresentavam uma doença cardíaca conhecida. Praticamente metade destes indivíduos tinha um nível elevado de proteína C reactiva (PCR) no sangue.

Um estudo prévio verificou que as pessoas com níveis elevados de PCR têm uma menor probabilidade de sofrer um ataque cardíaco se tomarem uma estatina. Estes medicamentos reduzem o risco de ataque cardíaco ao reduzirem o LDL-colesterol (“colesterol mau”) e a inflamação. Neste estudo recente, todas as pessoas foram submetidas a uma tomografia computorizada de alta velocidade. Este teste mediu os depósitos de cálcio nas artérias situadas em volta do coração. Os investigadores vigiaram as pessoas durante seis anos.

Durante esse período, três em cada quatro ataques cardíacos ocorreram em pessoas que apresentavam pontuações de cálcio elevadas.

Os investigadores afirmaram que a quantidade de cálcio predisse melhor o risco de ataque cardíaco do que os níveis de PCR. Ocorreram ataques cardíacos em aproximadamente 13% dos indivíduos com quantidades elevadas de cálcio mas apenas em 2% dos indivíduos com uma PCR elevada e sem cálcio nas artérias. Os investigadores afirmaram que uma quantidade elevada de cálcio pode constituir uma boa razão para alguns doentes tomarem uma estatina.

A revista Lancet publicou este estudo e a HealthDay News escreveu sobre ele em 18 de Agosto.

Qual é a reacção do médico?

A doença coronária inicia-se muitos anos antes de surgirem quaisquer sintomas ou sinais. A partir do início da idade adulta, deposita-se gordura nos vasos sanguíneos que fornecem o oxigénio e os nutrientes ao coração. Isto pode ocorrer de forma silenciosa durante anos. Em seguida, subitamente, pode ocorrer um ataque cardíaco.

Os médicos não querem limitar-se a aguardar que alguém sofra um ataque cardíaco ou outro problema a nível do coração. Assim, eles usam determinada informação para calcular o risco. Estes são os factores padrão que aumentam o risco de doença coronária:

  • História familiar, especialmente quando a angina de peito ou um ataque cardíaco ocorrem numa idade jovem
  • Tabagismo
  • Hipertensão arterial
  • LDL-colesterol elevado
  • Diabetes.

Se uma pessoa não apresentar nenhum destes factores de risco, tem um risco baixo de desenvolver uma doença coronária durante os próximos 10 anos. Se tiver múltiplos factores de risco, o risco é considerado elevado. A maior parte dos adultos são considerados como tendo um risco médio.

Os medicamentos do grupo das estatinas reduzem o LDL-colesterol (“colesterol mau”) e a inflamação. Algumas pessoas com um risco médio beneficiam com o tratamento com uma estatina. Mas, na maioria, isso não acontece.

Os médicos podem pedir uma análise de sangue denominada proteína C reactiva de alta sensibilidade. O nível de PCR aumenta quando existe mais inflamação no corpo. A inflamação activa os depósitos de gordura nos vasos sanguíneos tornando-os mais perigosos. A PCR apenas acrescenta um pouco mais de informação para ajudar a decidir se uma pessoa deve tomar uma estatina.

A tomografia computorizada ultra-rápida do coração constitui outra forma de prever o risco de ataque cardíaco. Os depósitos de gordura nos vasos sanguíneos atraem o cálcio circulante no sangue. O cálcio fica incrustado na parede dos vasos sanguíneos. Estas tomografias computorizadas especiais podem detectar e calcular a quantidade de cálcio nas artérias que rodeiam o coração. Isto é denominado de pontuação de cálcio nas artérias coronárias.

Uma pontuação de cálcio de zero significa que uma pessoa tem pouca ou nenhuma acumulação de gordura. Isto significa que existe um risco muito baixo de ataque cardíaco. O oposto é verdadeiro para uma pontuação elevada. Uma grande quantidade de cálcio significa uma grande quantidade de depósitos de gordura. Assim, este teste constitui uma verdadeira medida de uma doença coronária que pode não estar a produzir nenhuns sintomas.

Serão as pontuações de cálcio nas artérias coronárias úteis para decidir se alguém irá beneficiar com a administração de uma estatina?

Um estudo recente examinou esta questão. Os resultados sugerem que este teste pode identificar as pessoas com uma maior probabilidade de beneficiar com a toma de uma estatina e aquelas em que isso não é de esperar. Os resultados sugerem igualmente que a pontuação de cálcio nas artérias coronárias pode constituir um teste melhor do que a PCR de alta sensibilidade para as pessoas com um risco médio de ataque cardíaco.

Que alterações poderei efectuar agora?

A doença coronária é a principal causa de morte nos Estados Unidos da América. É igualmente uma das causas de morte com maior possibilidade de ser prevenida. É necessário seguir uma dieta saudável para o coração e de efectuar exercício físico regular a partir de uma idade jovem. Se este programa for mantido durante toda a vida, muitos de nós poderão prevenir ou, pelo menos, atrasar a acumulação de gordura.

Para muitos adultos, a dieta e o exercício físico não é suficiente. Os medicamentos do grupo das estatinas proporcionam outra forma de ajudar a combater a acumulação de gordura nas artérias e a prevenir os ataques cardíacos e os acidentes vasculares cerebrais.

Uma pessoa irá quase seguramente beneficiar com a administração de uma estatina se tiver:

  • Um nível elevado de LDL-colesterol (igual ou superior a 130 miligramas por decilitro) E
  • Outros factores de risco cardíaco

Se não tiver factores de risco cardíacos, naturalmente não necessita de uma estatina.

No entanto, pode apresentar um nível de LDL-colesterol elevado e não ter outros factores de risco cardíaco. Ou pode ter um LDL dentro dos valores normais mas ter um outro factor de risco, tal como uma pressão arterial elevada.

Deverá tomar uma estatina se qualquer destas situações se aplicar ao seu caso?

A realização de uma tomografia computorizada cardíaca ultra-rápida pode ajudá-lo a decidir. Se a pontuação de cálcio das artérias coronárias for muito baixa, os benefícios de tomar um medicamento do grupo das estatinas diariamente são questionáveis. Se a sua pontuação for muito elevada, deve ponderar definitivamente a possibilidade de tomar uma estatina. Se a pontuação for ligeiramente elevada, isto significa que existe acumulação de gordura. Eu geralmente recomendaria uma estatina neste caso.

O que é que poderei esperar ao olhar para o futuro?

O custo das tomografias computorizadas ultra-rápidas está a diminuir. Espera-se que as pontuações de cálcio nas artérias coronárias sejam utilizadas com maior frequência num futuro próximo.

 23 de Setembro de 2011

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: