Desvio do septo nasal

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Maria Inês Pereira

Validação Científica:

Drª Luísa Monteiro

O que é?

O septo nasal é a estrutura  que separa o lado esquerdo do lado direito do nariz. É uma estrutura firme e flexível e encontra-se coberto por uma mucosa ricamente vascularizada. Idealmente, o septo nasal deve situar-se exactamente no centro, tendo lados esquerdo e direito do nariz dimensões idênticas. No entanto, em cerca de 80% das pessoas o septo nasal está ligeiramente descentrado, embora a maior parte delas nunca chegue a notá-lo. Menos frequentemente, o septo encontra-se mais significativamente descentrado sendo esta situação denominada um desvio do septo nasal.

Nas pessoas com um desvio do septo, um dos lados do nariz apresenta-se mais amplo do que o normal, enquanto o outro é mais estreito. Isto altera o padrão do fluxo de ar no nariz e, por vezes, o lado mais estreito fica bloqueado. Em alguns casos, as aberturas dos seios perinasais podem estar obstruídas, o que pode desencadear uma infecção destas cavidades (rinosinusite) crónica (prolongada) ou que recidiva com frequência. As alterações no padrão do fluxo de ar no nariz podem fazer com que a mucosa que reveste o septo nasal se torne seca e com fissuras o que pode causar epistáxis (hemorragias nasais) frequentes.

Algumas pessoas nascem com um desvio do septo nasal como consequência do próprio desenvolvimento embrionário. No entanto, mais frequentemente, um desvio do septo é causado por uma pressão sobre o nariz durante o nascimento. Numa fase mais tardia da vida, o desvio do septo nasal pode ser causado por um traumatismo, embora os adultos e os adolescentes não se recordem frequentemente do traumatismo que originou o problema. No entanto, em alguns casos pode ter ocorrido uma pancada de um dos dados do nariz ― normalmente durante a prática de desportos de contacto, de jogos no pátio de recreio ou num acidente de viação ― que provocou o desvio do septo nasal.

Manifestações clínicas

Os sintomas de um desvio do septo nasal podem incluir:

  • Obstrução de uma ou de ambas as narinas
  • Congestão nasal (nariz entupido), por vezes apenas de um lado
  • Hemorragias nasais frequentes
  • Infecções frequentes dos seios perinasais (rinosinusites)
  • Dores na face, dores de cabeça e corrimento nasal posterior
  • Respiração ruidosa durante o sono nos bebés e nas crianças mais jovens.

Em alguns casos, uma pessoa com um desvio ligeiro do septo nasal apresenta sintomas apenas quando tem uma constipação ou outra infecção respiratória alta. Nestas pessoas, a infecção respiratória causa edema (inchaço) da mucosa nasal, o que agrava os problemas do fluxo de ar. Nestes casos mais ligeiros, quando a constipação desaparece os sintomas de desvio do septo nasal desaparecem igualmente.

Diagnóstico

Depois de rever os sintomas, o médico irá perguntar se o doente alguma fez sofreu uma fractura ou uma lesão grave do nariz e se alguma vez foi submetido a uma intervenção cirúrgica ao nariz. O médico irá observar o nariz e a posição do septo nasal. Para isso, irá usar uma luz intensa e um espéculo nasal (um instrumento que abre suavemente as narinas) para inspeccionar a superfície interna de cada narina. A mucosa de revestimento do nariz pode ser temporariamente contraída através da utilização de um pulverizador nasal vasoconstritor, como o Vibrocil ou a Neo-Sinefrina, Nazex, Nasorhinotiol para observar melhor a totalidade do septo. Por vezes, pode ser inserido um endoscópio de fibra óptica no nariz para observar directamente a parte posterior do septo. Na maior parte dos casos, o doente não irá necessitar de efectuar quaisquer exames especiais.

Se o desvio do septo estiver a causar hemorragias nasais preocupantes, infecções dos seios perinasais repetidas ou outros problemas significativos, o médico dos cuidados primários de saúde irá referenciar o doente para um otorrinolaringologista (um especialista em doenças dos ouvidos, nariz e garganta).

Ao desvio do septo podem associar-se deformações diversas da pirâmide nasal (estrutura externa do órgão nasal). Nestes casos outros especialistas poderão estar envolvidos no tratamento cirúrgico, nomeadamente cirurgiões Plásticos ou Maxilo-faciais.

Evolução clínica

Uma pessoa com um desvio ligeiro do septo nasal pode apresentar sintomas apenas durante uma infecção respiratória alta. Se o indivíduo apresentar um desvio mais acentuado do septo, pode desenvolver uma rinosinusite crónica ou hemorragias nasais recorrentes que irão prolongar-se até o problema ser corrigido cirurgicamente.

Prevenção

Uma pessoa pode ajudar a prevenir traumatismos nasais que possam causar um desvio do septo. Para isso, deve usar o cinto de segurança sempre que viajar de carro e usar uma protecção para a cabeça bem adaptada durante a prática de desportos de contacto, como o futebol ou o karaté.

Tratamento

Se a pessoa apresentar um desvio do septo nasal, irá necessitar de um tipo de cirurgia denominada septoplastia. Neste procedimento, o cirurgião irá colocar o septo numa posição normal. Em alguns casos, o cirurgião irá redefinir a aparência externa do nariz através de uma intervenção denominada rinoplastia. Quando os dois procedimentos são realizados num mesmo tempo cirúrgico, esta intervenção é denominada septorrinoplastia.

Se uma criança tiver um desvio do septo nasal, o médico pode aguardar até o nariz da criança ter terminado de crescer para proceder à sua correcção cirúrgica. Na maior parte dos casos isto não acontece antes dos 15 ou 16 anos de idade. Geralmente, os rapazes necessitam de aguardar um pouco mais do que as raparigas uma vez que o seu crescimento termina um pouco mais tarde.

Quando contactar um profissional

Consulte o médico se apresentar hemorragias nasais frequentes, se tiver uma narina obstruída permanentemente ou uma infecção dos seios perinasais que não responde ao tratamento ao fim de duas ou três semanas.

Consulte o médico imediatamente se o nariz sofrer um traumatismo e se lhe parecer que o septo pode ter sido desviado da sua posição normal ou se notar uma obstrução nasal importante após o traumatismo nasal (pode ocorrer um hematoma do septo).

Prognóstico

Na maior parte dos casos, a cirurgia é bem sucedida. No entanto, uma pequena percentagem de doentes opta por se submeter a uma segunda intervenção cirúrgica por razões cosméticas ou para melhorar o fluxo de ar.

Informação adicional

Sociedade Portuguesa de Otorrinolaringologia

www.sporl.pt

Academia Americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia da Cabeça e Pescoço

www.entnet.org

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-facial

www.aborlccf.org.br

 

Uma resposta to “Desvio do septo nasal”

  1. Desvio do septo nasal « Programa Harvard Medical School – Portugal Says:

    […] aqui o artigo: Desvio do septo nasal Share this:TwitterFacebookGostar disto:GostoBe the first to like this . Na categoria Doenças, […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: