Hepatite A

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. Nuno Ferreira

Validação Científica:

Prof. Carla Rolanda

O que é?

A hepatite A é uma infeção viral que pode inflamar e lesar o fígado. Ao contrário das outras formas de hepatite, a hepatite A é geralmente ligeira e auto-limitada. Esta doença é, habitualmente, transmitida através de alimentos e de água contaminada, mas pode igualmente ser transmitida durante as relações sexuais envolvendo o ânus. Em casos raros, a hepatite A pode ser disseminada pelo contacto com o sangue de uma pessoa com a infeção, por exemplo, quando os toxicodependentes endovenosos partilham agulhas.

As pessoas em maior risco de contrair Hepatite A incluem:

  • Pessoas que comem marisco pescado em águas contaminadas por esgotos
  • Crianças e prestadores de cuidados em infantários que se encontrem expostos às fezes de uma criança infectada
  • Viajantes internacionais

Manifestações clínicas

Se a infeção for ligeira, pode ser assintomática, especialmente numa criança. Quando surgem sintomas, estes podem incluir:

  • Cansaço
  • Perda do apetite
  • Febre
  • Náuseas
  • Hiperestesia nos quadrantes superiores do abdómen (epigastro e hipocôndrio direito)
  • Urina escura, cor de chá
  • Coloração amarela dos olhos e da pele (icterícia)

Diagnóstico

O médico pode perguntar se o doente comeu marisco recentemente ou se viajou para um país estrangeiro com condições sanitárias deficientes. O médico irá igualmente fazer perguntas sobre os hábitos de higiene pessoal e se o doente esteve próximo de uma pessoa com hepatite A.

O médico irá examinar o doente para verificar se existe aumento de volume ou dor no fígado e uma coloração amarelada na pele e nas escleróticas. Será necessário efectuar análises de sangue para confirmar o diagnóstico.

Evolução clínica

A hepatite A geralmente prolonga-se durante duas a oito semanas, embora algumas pessoas possam manter-se doentes durante até seis meses. A infeção irá provavelmente persistir durante mais tempo e ser mais grave nas pessoas mais idosas ou com problemas de saúde.

Prevenção

O risco de contrair hepatite A pode ser reduzido se forem seguidas as seguintes orientações básicas:

  • Lavar as mãos cuidadosamente com sabão antes e depois de manusear os alimentos, depois de usar a casa de banho e antes de comer.
  • Comprar marisco apenas em lojas ou restaurantes de confiança.
  • Se pescar o seu próprio marisco, certifique-se de que este provém de águas inspeccionadas regulamentes pelas autoridades de saúde.
  • Se viajar para um país em vias de desenvolvimento, evite beber água ou ingerir alimentos que possam estar contaminados e vacine-se contra a hepatite A antes de partir.
  • Evite a partilha de seringas no consumo de drogas injectáveis. Verificaram-se surtos de hepatite A nos toxicodependentes.

Deve ser administrada por rotina uma vacina para prevenir a hepatite A nos seguintes casos:

  • Todas as crianças de um ano de idade (entre os 12 e os 23 meses)
  • Qualquer pessoa com um ano de idade ou mais que viaje ou que trabalhe em países com uma prevalência elevada ou intermédia de hepatite A (a maioria dos países em vias de desenvolvimento)
  • Pessoas com uma doença hepática persistente, tal como uma hepatite crónica
  • Pessoas que requerem transfusões ou produtos derivados do sangue para doenças hemorrágicas
  • Pessoas que trabalham em investigação e que lidem com o vírus da hepatite A no laboratório.

As crianças que não foram vacinadas até aos dois anos de idade podem ser vacinadas posteriormente. Para os viajantes, a vacinação deve ser iniciada pelo menos um mês antes da viagem para proporcionar a melhor proteção.

Se uma pessoa esteve exposta a alguém com hepatite A, o médico pode administrar-lhe a vacina contra a hepatite ou uma injecção de imunoglobulina para a hepatite A para ajudar a prevenir o aparecimento dos sintomas da doença. Por vezes são utilizadas ambas as alternativas. A pessoa deve contactar o médico logo que tem conhecimento da exposição. Decorridas duas semanas após a exposição, a injeção de imunoglobulina não é eficaz.

Tratamento

Não existem medicamentos para tratar a hepatite A. De um modo geral, os médicos recomendam o repouso no leito, a ingestão de refeições equilibradas, a ingestão de bastantes líquidos e a evicção de bebidas alcoólicas. É igualmente essencial evitar medicamentos que possam ser tóxicos para o fígado, como é o caso do paracetamol em dose excessiva ou de anti-inflamatórios.

Quando contactar um médico

Consulte o médico se suspeitar que esteve exposto a alguém com hepatite A ou se apresentar sintomas sugestivos da doença. Se estiver a planear viajar para um país estrangeiro, pergunte ao médico se deve ser vacinado contra a hepatite A antes de partir.

Prognóstico

Praticamente todas as pessoas com hepatite A recuperam completamente dentro de algumas semanas a meses. Um pequeno número de pessoas pode apresentar uma doença grave. Em casos muito muito raros, a doença pode causar insuficiência hepática com necessidade de um transplante hepático.

Nas pessoas que já têm uma doença hepática ou outros tipos de hepatite, tal como uma hepatite B ou C, o risco de uma doença grave em consequência da hepatite A é muito superior.

Informação adicional

Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia

http://www.spg.pt/

Direcção Geral de Saúde

http://www.dgs.pt/

Uma resposta to “Hepatite A”


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: