O café pode combater a depressão.

Fonte: 

Tradução e Edição de Imagem Científica:

 

O café pode combater a depressão

O café pode reduzir o risco de depressão nas mulheres, afirma um estudo de grandes dimensões, em que as pessoas que beberam café com cafeína apresentaram um risco mais baixo. As mulheres que ingeriram quatro chávenas por dia tinham um risco 20% inferior de apresentarem sinais de depressão em comparação com as mulheres que ingeriram café descafeinado ou que não ingeriram nenhum café. As mulheres que consumiram duas ou três chávenas por dia tinham um risco 15% inferior. O café foi igualmente associado a riscos mais baixos de acidente vascular cerebral, de diabetes tipo 2 e de doença de Parkinson. O estudo fez parte de um projecto de investigação de grandes dimensões denominado Nurses’ Health Study, que seguiu 51.000 mulheres. O estudo sobre o café foi publicado no número de 26 de Setembro da revista Archives of Internal Medicine e o HealthDay News escreveu sobre ele no mesmo dia.

Qual é a reacção do médico?

Ninguém gosta de ser atormentado. Mas frequentemente é isso que os médicos fazem aos seus doentes. Existem muitas “proibições” ― não fume, não beba demasiado, não aumente mais de peso. E, em seguida, existem as “obrigações” ― faça mais exercício físico, coma mais fruta e vegetais.
É refrescante ter alguma coisa boa para dizer sobre uma coisa que se costumava proibir. O café pode, na realidade, ser bom para si. Falamos do verdadeiro café, não o café descafeinado.
Investigadores acabaram de publicar um artigo onde é afirmado que as mulheres que bebem café com cafeína têm uma menor probabilidade de desenvolverem depressão, quando comparado com as que não bebem café ou que bebem apenas café descafeinado.

Este estudo fez parte de um projecto de investigação de grandes dimensões actualmente em curso denominado Nurses’ Health Study. Os investigadores avaliaram um grande grupo de mulheres sem história de depressão no início do estudo. Eles questionaram periodicamente as mulheres relativamente ao consumo de café com cafeína e aos sinais de depressão. As mulheres que ingeriam em média quatro chávenas ou mais de café por dia apresentavam uma diminuição de 20% no risco de depressão. A ingestão de duas ou três chávenas por dia esteve associada a uma diminuição de 15% no risco.

Os resultados do estudo não demonstraram que a ingestão de bebidas com cafeína previne a depressão. Pode ser qualquer outro factor presente nas pessoas que bebem café que as torna menos propensas a desenvolver um distúrbio do humor. Mas faz sentido do ponto de vista científico. A cafeína estimula o cérebro no sentido de produzir uma maior quantidade de substâncias químicas cerebrais que combatem a depressão, tais como a serotonina e a dopamina.

A ingestão de café encontra-se associada a outros possíveis benefícios para a saúde, incluindo riscos mais baixos de:

  • •Diabetes tipo 2
  • Acidente vascular cerebral
  • Insuficiência cardíaca
  • Formação de coágulos de sangue nas veias que levam o sangue para o coração (trombose venosa profunda e embolia pulmonar).
  • Doença de Parkinson.

Quais as alterações que poderei efectuar agora?

Existem potenciais desvantagens de ingerir quantidades excessivas de café com cafeína. Em algumas pessoas, a pressão arterial pode aumentar imediatamente depois da ingestão de café. Mas isso não acontece em todas as pessoas. Além disso, mesmo quando a pressão arterial aumenta alguns pontos, isso apenas se verifica durante um curto período de tempo. Os adolescentes parecem ser mais susceptíveis a um aumento da pressão arterial devido à cafeína.

O café pode igualmente interferir com a absorção de ferro e de cálcio pelo organismo. Mas é necessário ingerir uma grande quantidade de café para que este reduza de forma significativa a quantidade de ferro e de cálcio na circulação sanguínea. E não é a cafeína que interfere com a absorção. Esta situação encontra-se relacionada com outro ingrediente presente no café denominado ácido fenólico. Deste modo, o café descafeinado pode igualmente afectar a absorção de ferro e de cálcio.

O café pode elevar ligeiramente os níveis de colesterol, dependendo da forma como é feito. Mais uma vez, não é a cafeína que influencia os níveis de colesterol. É o “óleo do café” presente no grão. Se ferver ou comprimir o seu café, então o óleo do café passa para a infusão. No entanto, se o passar por um filtro de papel, não aumentará o colesterol total nem o LDL-colesterol (“colesterol mau”).

Então qual é a conclusão? Se já for uma pessoa que consome habitualmente café, deleite-se com ele. Se não beber café, não existe necessidade de começar a fazê-lo. Os benefícios para a saúde do café propriamente dito são apenas possibilidades. Não existe uma razão suficientemente boa para passar a consumir café.

O conselho para os doentes é pragmático. Se o facto de beber apenas uma chávena de café o torna irrequieto ou ansioso ou se interferir com o sono, essa chávena de café já é excessiva.

O que poderei esperar ao olhar para o futuro?

Estudos recentes demonstraram consistentemente que a ingestão de café parece não fazer mal à saúde. E pode não se limitar apenas a não fazer mal. Tal como acontece com a ingestão de quantidades moderadas de álcool, o consumo moderado de café pode vir a revelar-se bom para a sua saúde.

28 de Outubro de 2011

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: