Novo medicamento para a fibrose pulmonar

Fonte: 

Tradução e Edição de Imagem Científica:

 

Um medicamento que ajuda a bloquear a formação de tecido fibroso (tecido cicatricial) parece promissor para a fibrose pulmonar idiopática. Nesta doença, os pulmões acumulam tecido fibroso. Não existe causa aparente nem tratamento eficaz. A fibrose pulmonar idiopática afecta cerca de 50.000 pessoas nos Estados Unidos da América. O estudo envolveu 423 pessoas. Metade tomou um novo medicamento denominado BIBF 1120, e a outra metade tomou um placebo. As pessoas que tomaram o medicamento apresentaram uma melhor função pulmonar, bem como uma melhor qualidade de vida. O estudo foi publicado em 22 de Setembro na revista New England Journal of Medicine e a HealthDay News escreveu sobre ele em 21de Setembro.

Qual é a reacção do médico?

Quando pensa numa doença que é intratável, incurável e uniformemente fatal, pensa em primeiro lugar no cancro? É compreensível. Existem muitas formas de cancro que podem ser descritas dessa forma. Mas existem muitas doenças não cancerosas que também não dispõem de opções de tratamento eficazes. A fibrose pulmonar idiopática é uma delas. Esta doença afecta um número estimado em 50.000 pessoas apenas nos Estados Unidos da América. A sobrevivência média depois do diagnóstico é de 2 a 3 anos.

A fibrose pulmonar idiopática é uma doença na qual os pulmões ficam invadidos por tecido cicatricial. Uma doença semelhante pode desenvolver-se devido a uma doença auto-imune (tal como a esclerodermia). Mas as pessoas com fibrose pulmonar idiopática desenvolvem problemas pulmonares sem motivo aparente. As causas possíveis incluem uma propensão genética, uma exposição ambiental desconhecida ou o envelhecimento. A causa real pode ser uma combinação destes (ou de outros) factores.

Um estudo recente identifica um novo fármaco promissor para o tratamento da fibrose pulmonar idiopática. Embora este medicamento não cure a doença, foi associado a uma melhoria modesta.
Neste estudo com um ano de duração, os investigadores administraram um medicamento (denominado BIBF 1120) ou um placebo a 432 pessoas com fibrose pulmonar idiopática. Este medicamento bloqueia uma substância química que promove a formação de tecido fibroso. O estudo verificou que:

  • Os indivíduos que receberam BIBF 1120 apresentaram um declínio mais lento da função pulmonar (em cerca de dois terços) em comparação com os indivíduos do grupo do placebo.
  • Ocorreram menos episódios de exacerbação dos sintomas com necessidade de tratamento urgente nos indivíduos do grupo de tratamento.
  • A qualidade de vida foi ligeiramente melhor nos indivíduos medicados com BIBF 1120.

Os efeitos secundários do BIBF 1120 foram, de um modo geral, ligeiros e incluíram náuseas, diarreia e provas de função hepática anormais.

Estes achados constituem motivo para optimismo para as pessoas com fibrose pulmonar idiopática e para as pessoas que lhe estão próximas. Os tratamentos habituais (como os medicamentos imunossupressores) não são eficazes de forma fiável e são frequentemente associado a efeitos secundários incómodos.

Embora sejam necessários estudos adicionais sobre este tratamento promissor, um editorial publicado com esta nova investigação comentou que “este estudo representa um avanço importante no tratamento desta doença devastadora” e que “os efeitos benéficos do BIBF 1120 brilham como um farol sobre o mar turbulento das promessas não cumpridas e de ensaios clínicos falhados”. Este é um grande louvor para uma doença considerada intratável.

Que alterações poderei efectuar agora?

Não existe uma forma conhecida de prevenir a fibrose pulmonar idiopática. No entanto, existem diversas alterações que pode efectuar e que podem ajudar a manter os pulmões saudáveis. Estas incluem:

  • Não fumar.
  • Fazer as vacinas recomendadas para prevenir a pneumonia.
  • Evitar a exposição ao amianto, à sílica ou a outras substâncias inaladas perigosas. Siga os procedimentos de segurança recomendados na actividade profissional, tais como a utilização de uma máscara de protecção. Se não estiver seguro sobre o seu risco profissional, fale com o seu patrão.
  • Procurar obter tratamento se tiver uma doença de refluxo gastro-esofágico
  • Limitar a exposição às radiações (tais como a das tomografias computorizadas ou da radioterapia).

Se sentir dificuldade em respirar, certifique-se de que o comunica ao seu médico. Ele irá rever os seus sintomas de forma detalhada e irá proceder a um exame objectivo. A avaliação padrão será tipicamente constituída por uma radiografia do tórax e por algumas provas funcionais respiratórias. Com esta informação, o médico pode geralmente determinar a causa dos seus sintomas, bem como o tratamento óptimo.

O que poderei esperar ao olhar para o futuro?

É provável que oiça falar em investigações adicionais sobre novos tratamentos para a fibrose pulmonar. É necessário saber se o tratamento com BIBF 1120 durante mais de um ano irá proporcionar ainda mais benefícios ou se este medicamento perde a sua eficácia ao longo do tempo. Além disso, os investigadores futuros podem descobrir quais os doentes que apresentam uma maior probabilidade de responderem bem ao tratamento com BIBF 1120 e qual a dose óptima do medicamento. Uma vez que o tecido fibroso nos pulmões é geralmente permanente, continua por determinar se algum medicamento pode proporcionar uma melhoria significativa e a longo prazo nas pessoas com fibrose pulmonar idiopática.

É possível que se venha a descobrir, dentro de pouco tempo, a causa da fibrose pulmonar idiopática. Este conhecimento pode conduzir a uma prevenção eficaz deste problema. A prevenção será provavelmente muito mais eficaz do que qualquer tratamento.

28 de Outubro de 2011

Anúncios

3 Respostas to “Novo medicamento para a fibrose pulmonar”

  1. Elisiário Alves de Toledo Says:

    Excelente luz que surge no túnel escuro em que se encontram os portadores da IPF,onde me inclúo. Sou médico: meu pai e um irmão faleceram com IPF e estou acomentido com a mesma patologia. Que Deus os ilumine. Elisiário Alves de Toledo – São José do Rio Preto- São Paulo- Brasil.
    email: elialto@terra.com.br

  2. Alfredo Marquesi de Toledo Says:

    Fico feliz com os estudos, e resultados obtidos, gostaria de saber como ter acesso ao BIBF 1120 – Sou médico, neto, filho e sobrinho de acometidos pela IFP, tenho muito interesse em acompanhar de perto estes estudos e rezar pelo sucesso destes. Alfredo Marquesi de Toledo – Matão – São Paulo – Brasil


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: