Melhorar a vigilância de pacientes com risco de terem cancro do esófago

Prof. Paula Chaves

Oiça, em 1 minuto, o áudio Melhorar a Vigilância de Pacientes, pela Prof. Paula Chaves: Melhorar a Vigilância de Pacientes com risco de terem cancro do esófago.”

Leia aqui o Artigo:

Nós trabalhamos num consorcio multidisciplinar com biólogos e bioinformáticos do IPO e Harvard Medical School para perceber como é que as alterações celulares estão associadas à tumorigenese. Em particular o foco do meu trabalho é um tipo específico de tumors. O Esófago de Barrett resulta da substituição do revestimento normal do esófago por outro, não habitual nessa localização, em resposta ao refluxo gastro-esofágico prolongado. Este revestimento anormal designa-se por metaplasia e condiciona um risco aumentado de desenvolvimento de adenocarcinoma, isto é o cancro do esófago. A metaplasia do esófago ou esófago de Barrett é, assim, considerada uma condição pré-maligna e os seus portadores devem ser submetidos a programas de vigilância endoscópica com o objectivo de detectar lesões precoces, susceptíveis de cura.

Apesar do risco, aumentado em relação à população normal, apenas uma pequena percentagem de doentes com esófago de Barrett irá desenvolver neoplasia e, até à data, não dispomos de nenhum marcador que permita identificar esses doentes, para além das alterações histológicas que traduzem a presença de neoplasia precoce e se designam por lesões pré-malignas. A detecção de lesões pré-malignas, susceptíveis de cura, constitui assim o objectivo da vigilância de doentes com condições pré-malignas como esófago de Barrett.

Muito já hoje se sabe sobre os mecanismos biológicos associados à cancerigénese, mas só o cada vez melhor conhecimento dos processos celulares que conduzem ao cancro permitirá uma cada vez melhor vigilância destes doentes.  Assim poderiamos reduzir o número de pacientes em vigilância e os procedimentos complicados que neles temos de efectuar.

Projecto financiado pela Fundação para a Tecnologia, no âmbito do Programa Harvard Medical School-Portugal, para investigação impacto de alterações das componentes celulares na progressão de dois tipos de tumores, o adenocarcinoma do esófago e o cancro da mama, nomeadamente na transformação inicial e na formação de metáteses.

Uma resposta to “Melhorar a vigilância de pacientes com risco de terem cancro do esófago”

  1. jorge manuel bastos das neves Says:

    Parabéns, continuação de um bom trabalho; não desistam da investigação apesar dos cortes orçamentais há sempre alternativas.
    Força, a favor da humanidade.
    O colega
    Jorge Neves


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: