Vasectomia

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. Nuno Ferreira

Validação Científica:

Dr. Pedro Nunes

O que é?

A vasectomia é uma pequena intervenção cirúrgica que é realizada para tornar um homem estéril (incapaz de ter filhos). Este procedimento é geralmente realizado por um urologista que é o especialista que lida com o sistema reprodutor masculino. A vasectomia consiste na secção ou bloqueio dos canais deferentes que são os canais que transportam o esperma do testículo para ser adicionado ao sémen. Existem dois canais deferentes, um vindo de cada testículo que quando são seccionados ou bloqueados, fazem com que o esperma não consiga passar do órgão onde é produzido, o testículo, para o reservatório onde o sémen e as secreções prostáticas estão armazenadas. É a combinação do esperma com as secreções da próstata que permite a sobrevivência dos espermatozóides. Durante a ejaculação, este fluido contendo o esperma é ejectado através do canal ejaculatório e do pénis durante o orgasmo. Depois de uma vasectomia, o homem pode continuar a ter erecções, relações sexuais e ejaculações de sémen normais, mas este líquido ejaculado não contém esperma e não pode engravidar uma parceira sexual.

Este procedimento demora geralmente cerca de15 a 20 minutos e praticamente todas as vasectomias são realizadas no consultório de um urologista ou num bloco operatório para cirurgias ambulatórias.

A vasectomia tem por objectivo proporcionar uma esterilização permanente. Em alguns casos, uma microcirurgia especial pode reverter a vasectomia e restabelecer a fertilidade, mas não existem garantias de que este procedimento seja bem sucedido em todos os casos. Esta técnica delicada é dispendiosa e eficaz apenas em cerca de 60 a 70% dos casos. Se um homem tiver a mais ligeira dúvida sobre a eliminação da possibilidade de ter filhos, então deve ponderar usar outra forma de controlo da natalidade que seja mais facilmente reversível. Embora um marido não necessite do consentimento da esposa para ser submetido a esta cirurgia, é apropriado discutir antecipadamente esta opção com ela.

Para que é usada

A vasectomia é utilizada para a esterilização masculina (contracepção). Depois de ser submetido a uma vasectomia, o homem pode continuar a ter erecções, relações sexuais e ejaculações normais mas não poderá ter filhos. Não existe alteração no desejo sexual depois desta operação.

Preparação

Uma vez que a vasectomia é quase sempre um procedimento realizado em ambulatório com anestesia local, não exige qualquer preparação prévia. Se, por qualquer motivo, a vasectomia tiver de ser realizada sob anestesia geral (sendo o homem mantido inconsciente durante a intervenção), o médico irá dizer ao indivíduo para não comer nem beber durante um período de tempo específico antes da intervenção.

Como é realizada

Depois da utilização de um anestésico local para anestesiar a área do escroto (a bolsa que contém os testículos), é realizada a vasectomia utilizando um de dois métodos:

  • Vasectomia tradicional Utilizando um bisturi, o cirurgião faz uma ou duas pequenas incisões na pele do escroto próximo da base do pénis (para alcançar o canal deferente de cada testículo). Após os canais deferentes terem sido expostos, são seccionados (cortados) para evitar a passagem do esperma. As opções incluem cortar os canais e laquear as extremidades, cauterizar os canais com um instrumento quente (electrocautério) ou bloqueá-los com grampos cirúrgicos. As duas pequenas incisões no escroto são então encerradas com dois ou três pequenos pontos de sutura.
  • Vasectomia sem bisturi– Nesta abordagem menos invasiva, apenas é necessário realizar incisões minúsculas. O cirurgião faz uma ou duas punções para ter acesso aos canais deferentes. A punção é ligeiramente alargada e, em seguida, o cirurgião corta ou bloqueia cada canal deferente. O local da punção pode ser coberto com um pequeno penso, não sendo necessários pontos de sutura.
    Seguimento

    Depois de ser submetido a uma vasectomia, o homem pode sentir um ligeiro desconforto na área do escroto. Este pode geralmente ser aliviado através da aplicação de gelo e de um medicamento analgésico de venda livre. Pode verificar-se o aparecimento de uma equimose (nódoa negra) negro-azulada na pele do escroto e na virilha. Muitos homens optam por evitar uma actividade física intensa durante dois ou três dias para reduzir o desconforto. O médico pode igualmente aconselhar o indivíduo a abster-se de ter relações sexuais durante alguns dias.

    Depois da vasectomia, serão necessários um a seis meses para que todo o esperma contendo espermatozóides viáveis seja eliminado do aparelho reprodutor. Deste modo, o homem irá necessitar de utilizar outra forma fiável de controlo da natalidade até o médico confirmar que está estéril. Isto pode ser efectuado através da análise de uma amostra de sémen para verificar se contém espermatozóides vivos. O médico irá dizer ao homem quando é que o seu sémen já não contém esperma.

    Riscos

    A maior parte dos homens recuperam da vasectomia sem problemas. Ocasionalmente, podem ocorrer complicações ligeiras, incluindo infecções, hemorragias, equimoses ou edema (inchaço). Em casos raros, pode acumular-se líquido perto do testículo ou pode formar-se uma pequena bolsa de esperma sob a pele. Estas complicações geralmente melhoram espontaneamente, embora por vezes seja necessária uma segunda cirurgia para drenar este líquido. Raramente, a primeira vasectomia não é bem sucedida e não esteriliza completamente o homem, sendo necessária uma nova intervenção.

    Alguns estudos mais antigos suscitaram a preocupação de que a vasectomia podia aumentar o risco de cancro da próstata. No entanto, a investigação recente não demonstrou a existência de qualquer relação entre o cancro da próstata e a vasectomia. A associação foi provavelmente devida ao facto dos homens que desejaram realizar uma vasectomia serem mais idosos e estarem a consultar um urologista, que pode ter realizado uma avaliação urológica geral, incluindo exames para a detecção do cancro da próstata.

    Quando contactar um médico

    Depois da vasectomia, o homem deve contactar o médico imediatamente se:

    • surgir febre;
    • o local da vasectomia drenar sangue ou pus;
    • surgir dor ou edema significativo no local da vasectomia.

    Embora a vasectomia não interfira com a sexualidade do homem, alguns indivíduos sentem dificuldades psicológicas que afectam o desempenho sexual. Se isto acontecer, o indivíduo não deve sentir vergonha em discutir a situação com o médico.

    Informação adicional

    Sociedade Portuguesa de Andrologia

    http://www.spandrologia.pt/

    Associação Portuguesa de Urologia

    http://www.apurologia.pt/

    Direcção Geral de Saúde

    http://www.dgs.pt/

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: