Hipotiroidismo

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. André Carvalho

Validação Científica:

Profª. Olinda Marques

O que é?

O hipotiroidismo significa que a glândula tiroideia (situada na parte anterior e inferior do pescoço) não consegue produzir uma quantidade normal de hormonas tiroideias, isto é, a glândula tiroideia está hipoactiva.

As hormonas tiroideias regulam a energia do organismo. Quando os níveis de hormonas tiroideias estão anormalmente baixos, o organismo queima a energia mais lentamente e as funções vitais, como os batimentos cardíacos e a regulação da temperatura, diminuem. As causas de hipotiroidismo incluem:

  • um defeito de nascença (congénito) da glândula tiroideia
  • uma doença auto-imune, na qual o sistema imunitário do próprio organismo ataca a glândula tiroideia
  • cirurgia da glândula tiroideia ou tratamentos com iodo radioactivo para tratar um cancro da glândula tiroideia ou um hipertiroidismo (níveis anormalmente elevados de hormonas tiroideias).

Um hipotiroidismo de curta duração pode ser causado por determinados tipos de inflamação da glândula tiroideia ou por infecções causadas por vírus. Em menos de 5% dos casos, o hipotiroidismo é causado por um problema do hipotálamo ou da hipófise e não na glândula tiroideia. O hipotálamo é uma estrutura cerebral que normalmente estimula a hipófise para produzir a hormona estimuladora da glândula tiroideia (TSH) que, por sua vez, induz a glândula tiroideia a produzir as hormonas tiroideias.

Algumas doenças médicas podem afectar o hipotálamo ou a hipófise e interromper a cadeia de sinais do cérebro para a glândula tiroideia. Se isso acontecer, a glândula tiroideia não recebe a mensagem para produzir hormonas tiroideias, embora seja capaz de funcionar perfeitamente. Esta situação é denominada de hipotiroidismo secundário e geralmente ocorre quando a hipófise é lesada por um tumor, uma infecção, uma sarcoidose ou um cancro que se disseminou a partir de outra zona do corpo. Mais raramente, o hipotiroidismo é resultante de uma lesão do hipotálamo.

O hipotiroidismo é mais comum nas mulheres do que nos homens.

Manifestações clínicas

Nos adultos, o hipotiroidismo pode causar os seguintes sintomas:

  • falta de energia
  • uma sensação de cansaço permanente
  • obstipação
  • uma sensibilidade a temperaturas baixas, que pode desenvolver-se gradualmente
  • cãimbras e rigidez muscular
  • aumento de peso (apesar da falta de apetite)
  • pele e cabelo secos
  • queda do cabelo
  • rouquidão ou voz áspera
  • frequência cardíaca lenta
  • depressão.

Se o hipotiroidismo grave não for tratado pode surgir um conjunto de alterações denominado mixedema. Estas alterações incluem uma face inexpressiva, cabelo fino, edema em volta dos olhos, aumento das dimensões da língua e uma pele espessa que se apresenta fria e viscosa ao tacto.

Nos bebés que nascem com hipotiroidismo pode observar-se um choro rouco, um crescimento lento, sonolência fora do habitual, obstipação e dificuldades na alimentação. Se o hipotiroidismo não for tratado, a criança pode apresentar um atraso no desenvolvimento mental, ficar excessivamente baixa e exibir uma aparência facial fora do habitual, pele seca, cabelo fino, distensão do abdómen e atraso na erupção dos dentes. Quando o hipotiroidismo ocorre numa criança mais velha pode verificar-se um atraso da puberdade, quebra de rendimento escolar e outros sinais e sintomas semelhantes aos observados nos adultos.

Diagnóstico

O médico deverá examinar o doente e inspeccionar a glândula tiroideia, que pode apresentar-se aumentada de volume. É importante procurar identificar sinais característicos de hipotiroidismo, tais como pele seca, cabelo fino e frequência cardíaca lenta. O médico deverá pesquisar os reflexos do joelho e do tornozelo para verificar se eles respondem mais lentamente do que o esperado.

O diagnóstico definitivo de hipotiroidismo tem por base os resultados das análises de sangue que determinam os níveis de hormonas tiroideias e de TSH no sangue. O doseamento do TSH constitui o teste mais sensível para detectar um hipotiroidismo causado por um problema da glândula tiroideia. O seu médico pode igualmente pedir análises de sangue para o colesterol e outros componentes do sangue, que se encontram frequentemente em níveis anormais nas pessoas com hipotiroidismo.

Um dos parâmetros analisados no “teste do pezinho” realizado no período neonatal serve para diagnosticar os casos de hipotiroidismo congénito.

Evolução clínica

Nas pessoas com um hipotiroidismo de curta duração causado por determinados tipos de inflamação da glândula tiroideia ou por infecções virais, os níveis das hormonas tiroideias voltam frequentemente ao normal ao fim de vários meses. Nas outras pessoas com hipotiroidismo, a doença é um problema para toda a vida.

Prevenção

A tiroideia necessita de iodo (em pequenas quantidades) para produzir hormonas tiroideias. Actualmente, existem vários alimentos contendo iodo pelo que o hipotiroidismo secundário a uma deficiência de iodo se tornou menos frequente. No entanto, a ingestão de quantidades extras de iodo também não ajuda a prevenir o hipotiroidismo.

Tratamento

O hipotiroidismo é tratado com doses de substituição de hormonas tiroideias. A forma sintética desta hormona mais usada é a levotiroxina.

Qualquer pessoa que esteja a tomar medicamentos para a glândula tiroideia deve realizar uma análise de sangue periodicamente para se certificar de que a dose que está a tomar permite manter os níveis adequados de hormonas tiroideias no organismo. É especialmente importante a monitorização das grávidas com hipotiroidismo devido ao facto de existir um aumento das necessidades de hormonas tiroideias durante a gravidez. Alguns alimentos e medicamentos podem reduzir a quantidade de hormona tiroideia activa disponível para as células do corpo. Por exemplo, o ferro pode interferir com a absorção no intestino dos medicamentos para a glândula tiroideia e os estrogénios orais (presentes por exemplo na “pílula”) tendem a aumentar as hormonas tiroideias em circulação ligada às proteínas do sangue, pelo que se encontra disponível uma menor quantidade de hormona tiroideia livre para as células do corpo.

Quando contactar um médico

Contacte o seu médico se apresentar alterações sugestivas de hipotiroidismo, especialmente se se sentir constantemente cansado, se notar que está a perder cabelo e a desenvolver uma sensibilidade anormal ao frio. Se o seu filho tiver sinais/sintomas de hipotiroidismo, contacte imediatamente o pediatra.

Prognóstico

Nos adultos, o tratamento com hormonas tiroideias proporciona geralmente o alívio dos sintomas de hipotiroidismo dentro de semanas, embora possa demorar meses. No entanto, em alguns doentes idosos, as posologias podem necessitar de ser aumentadas muito lentamente ao longo de seis a oito semanas para evitar sobrecarregar o coração. Nos bebés e nas crianças com hipotiroidismo, o tratamento imediato e continuado com hormonas tiroideias pode, na maioria dos casos, prevenir os problemas relacionados com o crescimento ou com o desenvolvimento intelectual.

Informação adicional

Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo

http://www.spedm.org/

Grupo de Estudo da Tiróide da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo

http://www.spedm-tiroide.org/scid/tyropag/

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

http://www.endocrino.org.br/

Associação Britânica da Tiróide

http://www.british-thyroid-association.org/

Associação Europeia da Tiróide

http://www.eurothyroid.com/

Associação Americana da Tiróide

http://www.thyroid.org/

Federação Internacional daTiróide

http://web.thyroid-fed.org/en/#home

Publicado em Doenças. Etiquetas: , , . 1 Comment »

Uma resposta to “Hipotiroidismo”

  1. jorge manuel bastos das neves Says:

    De grande utilidade para os doentes e população em geral.
    Também para os profissionais de´saúde.
    Êxitos pessoais aos autores e ao programa harvard msportugal.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: