Hipertiroidismo

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. André Carvalho

Validação Científica:

Profª. Olinda Marques

O que é?

O hipertiroidismo é uma doença na qual o organismo produz uma quantidade excessiva de hormona tiroideia. Esta situação é igualmente denominada de tiroideia hiperactiva.

As hormonas tiroideias são produzidas pela glândula tiroideia, que se encontra situada na parte anterior e inferior do pescoço. Estas hormonas regulam a energia do corpo e quando atingem níveis excessivamente elevados, o corpo consome energia mais rapidamente e muitas funções vitais aceleram-se.

O hipertiroidismo é geralmente causado por uma produção excessiva de hormonas tiroideias pela glândula tiroideia, sendo as razões mais comuns as seguintes:

  • Doença de Graves. A doença de Graves constitui a causa mais comum de hipertiroidismo e é uma doença do sistema imunitário. O organismo produz anticorpos que fazem com que a glândula tiroideia produza e liberte uma quantidade excessiva de hormonas tiroideias. A existência de um familiar com uma doença de Graves aumenta o risco de vir a desenvolver hipertiroidismo.
  • Tumor da glândula tiroideia. Um tumor não canceroso (adenoma) da glândula tiroideia pode produzir e segregar quantidades excessivas de hormonas tiroideias.
  • Bócio multinodular tóxico. A glândula tiroideia está aumentada de volume com múltiplos nódulos que segregam quantidades excessivas de hormonas tiroideias.

Alguns medicamentos ou substâncias ricas em iodo (como por exemplo a amiodarona) podem também induzir a tiróide a libertar ou produzir excessivamente as hormonas tiroideias.

Determinados tipos de inflamação da tiroideia (tiroidite) podem causar hipertiroidismo de curta duração. Isto pode ocorrer, por exemplo, depois de um parto ou na sequência de infecções virais.

Raramente, esta doença é secundária a uma produção excessiva de hormona estimuladora da tiroideia (TSH) pela hipófise (uma glândula situada na base do cérebro), o que conduz a uma produção excessiva de hormonas pela glândula tiroideia.

Em situações muito raras, o excesso de hormonas tiroideias pode ser proveniente de uma fonte exterior à glândula tiroideia, como por exemplo no crescimento anormal de tecido no ovário com capacidade de segregar hormonas tiroideias.

As queixas de hipertiroidismo podem igualmente ser causadas pela ingestão de quantidades excessivas de suplementos de hormonas tiroideias.

Manifestações clínicas

Os sinais e sintomas de hipertiroidismo incluem:

  • nervosismo
  • insónias
  • oscilações emocionais
  • sudação excessiva
  • tremores
  • aumento da frequência cardíaca
  • dejecções frequentes
  • perda de peso inexplicada, apesar de um aumento do apetite
  • sensação de calor persistente
  • fraqueza muscular
  • falta de ar e palpitações
  • queda do cabelo.

Nas mulheres, os períodos menstruais podem tornar-se menos frequentes ou desaparecer completamente. As pessoas mais idosas podem desenvolver insuficiência cardíaca ou angina.

Quando o hipertiroidismo é secundário a uma doença de Graves, pode igualmente surgir edema dos tecidos situados atrás dos olhos, o que pode causar uma aparência de espanto característica, com olhos salientes.

Diagnóstico

O médico deverá examinar o doente e palpar a glândula tiroideia para identificar sinais de aumento desta ou a existência de nódulos. Pode igualmente utilizar um estetoscópio para auscultar um aumento do fluxo de sangue na glândula tiroideia.

O médico deverá também procurar sinais adicionais de hipertiroidismo, incluindo:

  • aumento da frequência cardíaca
  • tremor das mãos
  • resposta brusca à percussão com um martelo para pesquisa dos reflexos osteo-tendinosos
  • sudação excessiva
  • fraqueza muscular
  • olhos salientes.

Se houver suspeita de hipertiroidismo é fundamental pedir análises de sangue para avaliar os níveis de hormonas tiroideias.

Outros exames diagnósticos podem incluir:

  • análises de sangue para avaliar os níveis de determinados anticorpos
  • uma ecografia da glândula tiroideia
  • uma cintigrafia da glândula tiroideia.

Evolução clínica

O hipertiroidismo causado por determinados tipos de inflamação ou infecções virais (tiroidite) desaparece geralmente ao fim de alguns meses.

A maior parte das pessoas com uma doença de Graves requer tratamento a longo prazo sendo que, por vezes, esta doença cura espontaneamente.

Prevenção

O hipertiroidismo causado pela ingestão de quantidades excessivas de medicamentos para a glândula tiroideia pode ser prevenido. O doente deve seguir as instruções do seu médico e realizar periodicamente análises de sangue para avaliar os níveis hormonais.

O hipertiroidismo que ocorre naturalmente não pode ser prevenido.

Tratamento

A maior parte das pessoas com hipertiroidismo requer tratamento com beta-bloqueantes, como o propranolol entre outros. Os beta-bloqueantes diminuem a frequência cardíaca e reduzem os tremores, sendo usados enquanto se aguarda que a terapêutica mais específica produza efeito.

O hipertiroidismo é mais frequentemente tratado com uma terapêutica medicamentosa anti-tiroideia que bloqueia a formação de hormonas tiroideias. Os medicamentos mais frequentemente usados são o metimazol e o propiltiouracilo.

O iodo radioactivo destrói a glândula tiroideia, constituindo uma opção de tratamento permanente. Este tratamento é normalmente usado para tratar o hipertiroidismo causado pela doença de Graves ou por nódulos da tiróide que produzem quantidades excessivas de hormonas tiroideias.

Outra opção (raramente utilizada) é a cirurgia para remover parte da glândula tiroideia.

Os doentes tratados com iodo radioactivo ou com cirurgia necessitam quase sempre de comprimidos de substituição das hormonas tiroideias para toda a vida.

Quando contactar um médico

Deve contactar o seu médico caso apresente sinais/sintomas suspeitos de hipertiroidismo ou se o seu tratamento não estiver a aliviar os seus sintomas como seria de esperar.

Prognóstico

Muitas pessoas com doença de Graves e que são tratadas com medicamentos anti-tiroideus apresentam remissões prolongadas da sua doença.

O iodo radioactivo constitui igualmente um tratamento eficaz para a doença de Graves e é quase sempre utilizado nos doentes com nódulos da glândula tiroideia com hiperprodução hormonal.

Muitas das pessoas sujeitas a iodo radioactivo irão desenvolver uma tiróide hipoactiva após o tratamento. Esta situação é denominada de hipotiroidismo e é facilmente tratada com uma administração diária de medicamentos de substituição das hormonas tiroideias.

Informação adicional

Alto Comissariado da Saúde

http://www.acs.min-saude.pt

Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo

http://www.spedm.org/

Grupo de Estudo da Tiróide da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo

http://www.spedm-tiroide.org/scid/tyropag/

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

http://www.endocrino.org.br/

Associação Britânica da Tiróide

http://www.british-thyroid-association.org/

Associação Europeia da Tiróide

http://www.eurothyroid.com/

Associação Americana da Tiróide

http://www.thyroid.org/

Federação Internacional da Tiróide

http://web.thyroid-fed.org/en/#home

Advertisements

Uma resposta to “Hipertiroidismo”

  1. jorge manuel bastos das neves Says:

    Muito esclarecedor, útil e informativo.
    Parabéns aos autores e ao Programa Harvard Portugal.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: