Edição da manhã, Sic Notícias – Implantes capilares em análise com o Dr. Biscaia Fraga

Dr. Zeferino Biscaia Fraga

O cirurgião plástico, Dr. Zeferino Biscaia Fraga, esteve na edição da manhã da Sic Notícias, para falar sobre o implante capilar.

Veja o vídeo aqui:

Leia o artigo aqui: Implante capilar

Implante capilar

Dr. Zeferino Biscaia Fraga

O que é?

O implante de cabelo recorre ao enxerto de cabelo da própria pessoa. Retira-se uma pequena tira da zona occipital inferior e temporal (onde até os calvos têm cabelo, e onde este é mais forte) e fecha-se completamente esse espaço. Na zona a implantar executam-se pequenos orifícios com laser. O cabelo é implantado no couro cabeludo, um a um. Esta técnica, quando utilizada com recurso aos melhores equipamentos permitidos pela evolução técnica e científica, permite reduzir substancialmente a zona de alopecia de uma forma muito discreta e muito natural, pois é unicamente utilizado o cabelo do próprio.

Dependendo da gravidade da situação, poderá haver necessidade de realizar várias intervenções de forma a atingir o resultado pretendido Leia o resto deste artigo »

Edição da Manhã, SIC Notícias – Deformidades Nasais

Dra Luísa Magalhães Ramos

Na Edição da Manhã da Sic Notícias, a Dra. Luísa Magalhães Ramos, cirurgia plástica e reconstrutiva, analisa deformidades nasais

Veja o vídeo aqui:

Para saber mais leia o artigo deformidades nasais.

Hipertrofia Mamária

Dra Luisa Magalhães Ramos

O que é?

A hipertrofia mamária caracteriza-se por um excesso de pele, gordura e glândula mamária, geralmente bilateral, que no seu conjunto originam diversas queixas.

Os termos técnicos utilizados para se referirem a este problema são macromastia ou gigantomastia.  Embora não haja consenso, geralmente considera-se gigantomastia quando se espera uma necessidade de redução superior a 1,5kg por mama. Nos casos de macromastias, as reduções poderão ser leves ou moderadas (entre 100 a 500gr) ou mais graves ( a partir de 500 gr).

Leia o resto deste artigo »

Deformidade nasal

Dra Luísa Magalhães Ramos

O que é?
As deformidades nasais podem ser funcionais (perturbam a respiração) ou estéticas. Para além disso, podem classificar-se como congénitas (presentes ao nascimento, geralmente devido a malformações esqueléticas, vasculares, etc.) ou adquiridas (como é o caso de traumatismos).O nariz é um elemento central da face, cujas proporções estéticas têm sido estudadas desde a Antiguidade,  que quando intervencionado visa uma melhor harmonia da face.
Do ponto de vista estético, as áreas mais frequentemente tratadas são o dorso (que pode ser demasiado baixo, largo, com “bossa”, entre outros) e a ponta nasal (por vezes demasiado larga, com falta ou com demasiada projecção). Há ainda outras situações que condicionam um aspecto desagradável do nariz, como o rinofima (condicionado pelo aumento da actividade glandular que provoca uma aparência em “favo de abelha”), causando imensas perturbações sociais e psicológicas aos seus portadores.
Do ponto de vista funcional há várias patologias que podem interferir com a função respiratória, nomeadamente desvio do septo nasal (que também condiciona a aparência estética), hipertrofia dos cornetos, pólipos nasais, etc.

Sintomas e diagnóstico
Obstrução respiratória, ressonar, ou escorrências nasais podem estar subjacentes a patologia funcional nasal. O diagnóstico depende essencialmente do exame clínico, podendo ser pedidos meios auxiliares de diagnóstico, nomeadamente, Rx e TAC, sempre que necessário.

Tratamento
O tratamento é cirúrgico, devendo sempre ter em conta as componentes estética e funcional. Obviamente, não se pode equacionar um nariz esteticamente perfeito em que a pessoa em causa não consiga respirar devidamente.  De entre as abordagens possíveis para uma rinoplastia cujo objectivo seja melhorar a aparência do mesmo, dependendo das características presentes, podem-se utilizar vias exonasais ou endonasais (por fora ou por dentro do nariz, respectivamente), pode ser necessário fracturar os ossos do nariz ou ainda utilizar enxertos de cartilagem colhida no pavilhão auricular ou nas costelas. Se houver uma patologia funcional complexa, o trabalho do Cirurgião Plástico deverá ser complementado com o de um  Otorrinolaringologista, preferencialmente numa única intervenção.

Prognóstico
A intervenção visa melhorar a aparência e optimizar a função respiratória e esses objectivos são geralmente cumpridos. Um aspecto fundamental é que haja expectativas realistas face à intervenção proposta, uma vez que o resultado final depende sempre também do ponto de partida, isto é, do caso clínico em concreto. Não é possível aplicar uma receita para a rinoplastia e esperar que todos os narizes tenham resultados idênticos, uma vez que há características inerentes a cada indivíduo e diferentes técnicas que se adequam aos problemas de cada um.