Dicas sobre Saúde

Sabia que que determinadas gorduras saudáveis principalmente proporcionadas por fontes vegetais e pelo peixe podem reduzir o risco de ataque cardíaco e de acidente vascular cerebral?

Edição da manhã, Sic Notícias – o AVC em análise com a Dra Patrícia Canhão

Assinala-se este sábado o dia nacional do doente com AVC. A neurologista Dra Patrícia Canhão esteve na Edição da Manhã para fazer o ponto da situação desta doença em Portugal

Veja o vídeo aqui:

 

Leia o artigo aqui: Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O que é o Acidente vascular cerebral (AVC)?

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Drª. Ana Correia

Validação Científica:

Drª. Filipa Falcão


Leia o artigo aqui:

O que é?

O acidente vascular cerebral (AVC) é uma lesão do cérebro que ocorre devido a uma interrupção do fornecimento de sangue a este órgão. Em Portugal constitui a principal causa de morte e de incapacidade permanente.

A irrigação sanguínea do cérebro pode ser perturbada por diferentes razões. Os médicos geralmente classificam os acidentes vasculares cerebrais em hemorrágicos e isquémicos. De uma forma simplificada, os AVCs isquémicos podem ser divididos em trombóticos ou embólicos.

Acidente vascular cerebral hemorrágico

Este tipo de acidente vascular cerebral é causado por uma hemorragia, que pode ocorrer dentro do cérebro (hemorragia intracerebral) ou entre este órgão e o crânio (hemorragia subaracnoideia). Quando ocorre uma hemorragia, os vasos sanguíneos de pequeno calibre próximo da hemorragia contraem-se e, consequentemente, algumas áreas cerebrais recebem uma quantidade insuficiente de sangue. Além disso o sangue pode comprimir as estruturas nervosas adjacentes.

A hemorragia intracerebral encontra-se frequentemente associada a uma pressão arterial elevada (hipertensão arterial), à idade avançada, ao consumo excessivo de álcool ou à utilização de cocaína ou de anfetaminas. A hemorragia cerebral ocorre geralmente por rotura de pequenas artérias ou de malformações dos vasos sanguíneos. Por lado, a hemorragia subaracnoideia (entre o cérebro e o crânio) é geralmente causada pela rotura de um aneurisma cerebral. Os acidentes vasculares cerebrais hemorrágicos são menos frequentes que os isquémicos.

Leia o resto deste artigo »

Como retardar a doença cardíaca e o acidente vascular cerebral?

Dr. Eduardo Mendes

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobreComo retardar a doença cardíaca e o acidente vascular cerebral?” com o Dr. Eduardo Mendes: Como retardar a doença cardíaca e o acidente vascular cerebral?

Leia o texto do áudio aqui:

Durante muitos anos, era uma questão de fé acreditar que manter uma dieta com um baixo teor de gordura reduzia o risco de doença cardíaca e, possivelmente, de acidentes vasculares cerebrais.

Mas a investigação adicional mostrou que determinadas gorduras ― provenientes sobretudo de fontes vegetais e do peixe ― podem reduzir o risco de ataque cardíaco e de acidente vascular cerebral, sendo assim mais saudáveis.

Nas pessoas com doença cardíaca, os estudos mostram que uma dieta saudável que inclua muitas destas gorduras pode poupar tantas vidas como os medicamentos habitualmente prescritos para o coração.

Assim, procure utilizar óleos vegetais, nomeadamente o azeite, e poucas ou nenhumas gorduras más.

A investigação mostra que é mais saudável substituir as gorduras más por gorduras boas do que cortar todas as gorduras da sua dieta.

Leia o artigo aqui: Como retardar a doença cardíaca e o acidente vascular cerebral?

O que é um aneurisma da aorta abdominal?


Veja o vídeo aqui com o Professor José Fernandes e Fernandes,  Catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa:

Leia o artigo aqui:

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. António Vaz Carneiro

O que é?

Um aneurisma da aorta abdominal é uma dilatação anormal potencialmente fatal (frequentemente com a forma de balão) de um segmento da maior artéria do corpo, a aorta, verificando-se nestas circunstâncias que a parede da artéria forma uma saliência em vez de permanecer direita.
A aorta transporta sangue rico em oxigénio do coração para artérias mais pequenas espalhadas pelo corpo. Um aneurisma abdominal ocorre na aorta abdominal, a zona da aorta que se situa entre a parte de baixo do peito e a região pélvica.

Normalmente, a aorta mede cerca 2,5 centímetros de diâmetro, mas o seu tamanho aumenta muito gradualmente com o avançar da idade. Se a secção da aorta abdominal tiver mais de 3 centímetros de diâmetro, diz-se que a pessoa tem um aneurisma da aorta abdominal.

Leia o resto deste artigo »

O risco de acidente vascular cerebral é mais elevado na pré-hipertensão

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 


Uma análise da investigação mostra que mesmo uma pressão arterial que se situa imediatamente abaixo dos valores considerados “elevados” pode aumentar o risco de acidente vascular cerebral. Uma medição normal da pressão arterial situa-se abaixo de 120/80 mmHg. Uma pressão arterial elevada é igual ou superior a 140/90 mmHg. A pré-hipertensão situa-se entre os valores de pressão arterial normais e elevados. Um estudo recente coligiu os resultados de 12 estudos prévios. Eles incluíram mais de 500.000 pessoas sem história de doença cardíaca ou de acidente vascular cerebral.

Leia o resto deste artigo »

O que é um Coma e Estado Vegetativo Persistente?

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Drª. Ana Sofia Correia

Validação Científica:

Prof. João Lobo Antunes

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobre Neurologia pelo Prof. João Lobo Antunes: O que é um Coma e Estado Vegetativo Persistente?

Leia o artigo aqui:

O que é?

Coma é um estado de inconsciência profunda em que uma pessoa parece estar a dormir mas não é despertável.

O estado vegetativo refere-se a outra forma de alteração do estado de consciência na qual a pessoa parece estar acordada mas não interage com o mundo exterior. Nesta situação, os olhos da pessoa podem estar abertos e o doente pode, por exemplo, pestanejar, mover os olhos, emitir sons, gemer, sorrir, chorar, movimentar espontaneamente os membros e ter reacção de sobressalto a um ruído. No entanto, estes doentes não têm respostas comportamentais voluntárias a estímulos e não se expressam nem compreendem a linguagem. O estado vegetativo é persistente quando dura pelo menos 1 mês.

Leia o resto deste artigo »