Doença arterial periférica

Prof. José Fernandes e Fernandes

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobre “ Doença arterial periférica ” com o Prof. José Fernandes e Fernandes:  Doença arterial periférica

Na doença arterial periférica não existe um fluxo suficiente de sangue nas pernas. Esta situação é geralmente causada pela aterosclerose, em que depósitos de gordura, denominados placas, se acumulam ao longo das paredes dos vasos sanguíneos, diminuindo o calibre do vaso e reduzindo a quantidade de sangue que consegue passar. O sintoma mais comum de doença é a claudicação intermitente ― dores ou cãibras nas pernas ou nas nádegas que começam quando faz exercício e que desaparecem quando fica em repouso. A dor é frequentemente descrita como uma dor profunda, especialmente nos músculos da barriga da perna e pode estender-se até ao pé ou para cima, para a coxa e para a nádega.

Os factores de risco para uma doença arterial periférica são semelhantes aos factores de risco para a doença coronária e incluem: hábitos tabágicos, hipertensão, diabetes ou obesidade.

Leia o artigo aqui: Doença arterial periférica

Anúncios

Doença arterial periférica

 

O que é?

Na doença arterial periférica (anteriormente denominada doença vascular periférica) não existe um fluxo suficiente de sangue nas pernas. Esta situação é geralmente causada pela aterosclerose, em que depósitos de gordura, denominados placas, se acumulam ao longo das paredes dos vasos sanguíneos, diminuindo o calibre do vaso e reduzindo a quantidade de sangue que consegue passar. O sintoma mais comum é a claudicação intermitente, que provoca uma dor tipo cãibra nas pernas ou nas nádegas quando se faz exercício e que desaparece quando se fica em repouso. Os fatores de risco para uma doença arterial periférica são semelhantes aos fatores de risco para a doença coronária e incluem:

  • Fumar cigarros ou consumir outras formas de tabaco (tais como o rapé e o tabaco para mascar)
  • Nível anormalmente elevado de colesterol (hipercolesterolémia)
  • Nível anormalmente baixo de lipoproteínas de alta densidade (HDL, o colesterol bom)
  • Pressão arterial elevada (hipertensão)
  • Diabetes
  • História familiar de doença cardiovascular
  • Obesidade
  • Inatividade física (muito pouco exercício regular)
  • Doença renal
  • Raça (os negros parecem ter um risco mais elevado de desenvolvimento da doença)

  Leia o resto deste artigo »