Dicas sobre Saúde

Sabia que um teste de sangue oculto nas fezes positivo implica a realização de uma colonoscopia para eliminar um cancro do cólon.

Anúncios

Dicas sobre Saúde

Sabia que a  realização de uma colonoscopia implica uma dieta líquida associada a laxantes e um jejum total na véspera do exame.

Pólipos do cólon

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. Nuno Ferreira

Adaptação Científica:

Dra. Sara Belga

Validação Científica:

Prof.Rui Tato Matinho

O que são?

Os pólipos do cólon são formações que surgem na camada que reveste o interior (denominada de mucosa) do cólon ou intestino grosso. Alguns pólipos aparecem como protusões em forma de cogumelo suportadas por um pedículo (pólipos pediculados). Outros surgem como crescimentos aplanados da mucosa (pólipos sésseis).

Os pólipos surgem na mucosa intestinal, mais frequentemente no cólon. Existem vários tipos de pólipos. Importa salientar que estes não são sinónimo de cancro, embora possam ser percursores do mesmo ou conter em si um cancro (ou carcinoma).

Existem diversos tipos de pólipos,  a maioria dos quais é benigna (não cancerosa). No entanto, o pólipo adenomatoso, que corresponde a cerca de dois terços de todos os pólipos no cólon, encontra-se associado a alterações no ADN das células que o contituem, a chamada displasia (que pode ser de baixo ou alto grau), podendo degenerar em cancro do cólon e recto. Quanto maior for o pólipo, maior a probabilidade deste conter células malignas. Num pólipo com um diâmetro superior a 1 cm, existe um risco quatro vezes superior de ser maligno em relação a pólipos de menores dimensões. Leia o resto deste artigo »

Colonoscopia

Diogo Belo

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobre a Colonoscopia com Diogo Belo:  Colonoscopia

Leia o texto do áudio aqui:

A Colonoscopia é um exame realizado para observar o interior do intestino grosso, permitindo identificar pólipos, focos de sangramento, zonas de inflamação ou uma lesão suspeita de cancro.

 Neste exame é utilizado um tubo flexível com uma pequena câmara e uma luz na ponta chamado colonoscópio, que transmite imagens em tempo real para um ecrã.

 A colonoscopia é também útil para a remoção de pólipos, através de uma ansa metálica existente na ponta do tubo, os quais são posteriormente enviados para análise.

 Nos dias que antecedem o exame, deve preparar o seu intestino através de uma dieta líquida associada a laxantes, que permitirá uma melhor visualização da parede intestinal.

 Trata-se de um exame não doloroso que no entanto pode ser desconfortável, podendo-se assim recorrer a uma sedação ou mesmo anestesia geral.

 As complicações são pouco frequentes mas existem, nomeadamente perfurações, hemorragias e lesões da parede intestinal. Por isso em caso de dúvida não hesite em contactar o seu médico.

Leia aqui o artigo: Colonoscopia

Colonoscopia

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. Carla Rolanda

O que é?

A colonoscopia total é um exame da totalidade do cólon, isto é, do intestino grosso. A colonoscopia total é semelhante a outro tipo de exame denominado rectossigmoidoscopia (ou colonoscopia esquerda), que permite observar apenas a última parte do cólon. Para realizar uma colonoscopia, o médico utiliza um aparelho denominado colonoscópio, que é um tubo flexível com uma pequena câmara e uma luz na extremidade. Usando tecnologia de fibra óptica e um pequeno chip, o colonoscópio transmite as imagens para um ecrã de vídeo à medida que percorre o interior do cólon.

Durante a colonoscopia, o médico pode avaliar o cólon para verificar a presença de massas anormais denominadas pólipos, de zonas de hemorragia e de outros problemas, tais como uma colite (inflamação do cólon). O procedimento pode demorar uma hora e é realizado numa sala especial de endoscopia ou na área ambulatória de um hospital. Embora o colonoscópio seja lubrificado e muito flexível, o doente poderá ser ligeiramente sedado para minimizar o desconforto. Dependendo das condições do local onde a colonoscopia seja realizada e da disponibilidade de presença de um anestesista, poderá ainda existir a opção de uma sedação mais profunda, em que a pessoa não terá memória do exame.

Leia o resto deste artigo »