O que é uma Substituição Valvular?

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. António Vaz Carneiro

Leia o artigo aqui:

O que é?

Por vezes, uma válvula cardíaca natural que não está a funcionar apropriadamente necessita de ser substituída cirurgicamente por uma prótese valvular, que é um substituto de tecido ou sintético que tem por objectivo imitar os movimentos normais de abertura e de encerramento da válvula natural. Uma prótese valvular pode substituir qualquer das quatro válvulas cardíacas ― aórtica, mitral, pulmonar e tricúspide. As próteses valvulares cardíacas são divididas em duas categorias básicas: válvulas mecânicas sintéticas e válvulas biológicas de tecido humano ou animal.

Funcionamento das válvulas cardíacas saudáveis

Leia o resto deste artigo »

Anúncios

Cancro do rim

Fonte:

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Dr. André Carvalho

Validação Científica:

Dra Isabel Fernandes

O que é?

Os rins são dois órgãos em forma de feijão e do tamanho de um punho, que se situam abaixo da caixa torácica, na parte posterior do abdómen, de cada lado da coluna. Estes órgãos filtram as substâncias residuais, o excesso de água e o sal do sangue, regulam o equilíbrio de líquidos no organismo e produzem igualmente hormonas que monitorizam a pressão arterial e regulam a produção de glóbulos vermelhos.

Os doentes cujos rins entraram em falência ou que não funcionam bem geralmente necessitam de diálise ou de um transplante renal. Durante a diálise, um aparelho filtra as substâncias residuais que têm de ser eliminadas do sangue.

Leia o resto deste artigo »

Publicado em Cancro, Doenças. Etiquetas: , , , . 1 Comment »

O que são Problemas das Válvulas Cardíacas?

Fonte: 

Tradução e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. António Vaz Carneiro

Veja o vídeo sobre  Insuficiência Cardíaca aqui:

Veja também o vídeo sobre Estenose Aórtica aqui:

Oiça o áudio aqui: «Problemas das válvulas cardíacas», pelo Prof. Lino Gonçalves, Cardiologia nos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Leia o artigo aqui:

O que é?

O coração tem quatro válvulas: aórtica, mitral, tricúspide e pulmonar. Tal como as válvulas utilizadas na canalização doméstica, as válvulas cardíacas abrem para permitir que o líquido (sangue) seja bombeado para a frente e encerram para impedir o líquido de refluir para trás. As válvulas cardíacas humanas são constituídas por abas de tecido denominadas folhetos ou cúspides.

Leia o resto deste artigo »

O que é um Transplante de Coração?

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. António Vaz Carneiro

Leia o artigo aqui:

O que é?

Um transplante cardíaco é uma cirurgia na qual um doente com um problema do coração potencialmente fatal recebe um novo coração saudável de uma pessoa que morreu. No transplante cardíaco, o doente que recebe um novo coração (o receptor) é alguém que apresenta um risco de 30 a 70% de morrer dentro de um ano sem um novo coração. A pessoa que fornece o coração saudável (o dador) é geralmente alguém que foi declarado em morte cerebral e que ainda se encontra ligado a máquinas de suporte de vida. Os dadores de coração têm geralmente menos de 50 anos, não têm história de problemas cardíacos e não têm nenhuma doença infecciosa.

O receptor e o dador devem ser compatíveis, o que significa que determinadas proteínas nas suas células (denominadas antigénios) são semelhantes. Uma compatibilidade adequada irá reduzir o risco de o sistema imunitário do receptor considerar o coração do dador como um objecto estranho, atacando-o num processo denominado de rejeição do órgão.

Em 2005, foram realizados em Portugal 46 transplantes de coração. Já nos Estados Unidos da América, os cirurgiões realizam aproximadamente 2.100 transplantes cardíacos por ano e mais de 3.000 pessoas permanecem em lista de espera nacional para um coração de dador.

Leia o resto deste artigo »

Problemas das Válvulas Cardíacas

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. António Vaz Carneiro

Leia aqui o artigo:

O que é?

O coração tem quatro válvulas: aórtica, mitral, tricúspide e pulmonar. Tal como as válvulas utilizadas na canalização doméstica, as válvulas cardíacas abrem para permitir que o líquido (sangue) seja bombeado para a frente e encerram para impedir o líquido de refluir para trás. As válvulas cardíacas humanas são constituídas por abas de tecido denominadas folhetos ou cúspides.

Os problemas das válvulas cardíacas incluem-se em duas categorias:

  • Estenose – A abertura da válvula é demasiado estreita, o que interfere com o fluxo de sangue para a frente.
  • Regurgitação (ou Insuficiência) – A válvula não se encerra adequadamente, apresentando uma fuga que pode causar um refluxo significativo de sangue.

Os problemas das válvulas cardíacas podem ser congénitos, o que significa que estão presentes aquando do nascimento, ou adquiridos depois do nascimento.

Um problema valvular cardíaco é classificado como congénito quando algum factor durante o desenvolvimento fetal leva a válvula a apresentar uma anomalia, o que ocorrem em cerca de um em cada 1.000 recém-nascidos. A maior parte destes bebés apresenta uma estenose da válvula pulmonar ou aórtica. Na maior parte das vezes não pode ser determinada uma causa específica, mas os investigadores consideram que muitos casos são causados por factores genéticos (hereditários).

Leia o resto deste artigo »

Cancro do colo do útero

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. André Carvalho

Validação Científica:

Dr. Ricardo da Luz

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobre Cancro pelo Prof. Ricardo da Luz: Cancro do Colo do Útero

Faça o Quiz aqui: Questionário sobre Cólo do Útero

Leia o artigo aqui:

O que é?

O colo do útero é uma estrutura pequena que, constituindo a entrada do útero, faz a ligação entre este e a vagina.

O cancro do colo do útero começa na camada mais superficial do colo do útero, denominada de epitélio cervical. Aqui têm início as pequenas alterações que posteriormente tornam as células epiteliais normais em células cancerosas que se multiplicam descontroladamente. O cancro do colo do útero cresce, em geral, de forma lenta e permanece confinado ao revestimento do colo do útero durante cerca de 10 anos. Quando o cancro do colo do útero se estende para além desta camada, invadindo em profundidade, aumenta o risco de invadir os órgãos próximos, incluindo o útero, a vagina, a bexiga e o recto.

Leia o resto deste artigo »

O que é que acontece exactamente num bypass coronário?

Autor: Prof. António Vaz Carneiro

Neste vídeo, o Professor António Vaz Carneiro explica quando é necessária a cirurgia de bypass coronário e os procedimentos que ocorrem durante a própria cirurgia. Esta informação não substitui o aconselhamento presencial e individualizado do seu médico assistente.