Doença Bipolar

Diogo Medina

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobre “ Doença Bipolar” com o Dr. Diogo Medina:  Doença Bipolar

A Doença bipolar é uma perturbação mental caracterizada por alterações de humor que variam entre períodos de mania e depressão.

 Os períodos de mania correspondem a estados de humor elevado ou irritável, em que a pessoa pode demonstrar uma autoestima exageradamente grande, gastar mais dinheiro do que o razoável ou até envolver-se em aventuras sexuais imprudentes.

 Nos períodos depressivos, a pessoa tende a exibir um humor distintamente baixo, perdendo o interesse e prazer pelas coisas, perdendo o apetite e assinalando grandes dificuldades em dormir.

 Ao contrário da depressão, que atinge sobretudo as mulheres, a perturbação bipolar acontece quase de igual modo entre homens e mulheres, e atinge cerca de 4% da população.

 Não existe prevenção possível para esta doença. Contudo, podem obter-se ganhos significativos de qualidade de vida através do acompanhamento médico adequado, com uma combinação de psicoterapia e medicação farmacológica.

Leia o artigo aqui: Doença bipolar

Anúncios

Depressão

Sofia Ribeiro

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobre “ Depressão ” com a Dra Sofia Ribeiro:  Depressão

Os sintomas mais evidentes da depressão são um estado grave e persistente de tristeza e desespero, que pode assemelhar-se a irritabilidade. A perda de interesse nas atividades, variação de peso, apetite ou sono e a ansiedade também podem constituir sintomas. O desempenho profissional e sexualidade também podem ser perturbados. As mudanças de humor que ocorrem duram no mínimo duas semanas, mas podem prolongar-se por meses ou mesmo anos.

A depressão provavelmente envolve alterações nas zonas do cérebro que controlam o humor/estado de espírito. Não há forma de evitar a depressão, mas o diagnóstico precoce pode reduzir muito os sintomas e ajudar a evitar recaídas ou novos episódios.

Um médico de família ou um profissional de saúde mental podem diagnosticar uma situação de depressão através de uma pequena entrevista ao doente, interrogando-o acerca dos seus sintomas e historial clínico. Um tratamento combinado de psicoterapia e medicação é de grande utilidade.

Leia o artigo aqui: Depressão major

Doença bipolar

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. João Relvas

O que é?

A perturbação ou doença bipolar, a que se costumava chamar doença maníaco-depressiva, é uma perturbação mental caracterizada por amplas alterações de humor que variam de altas (maníacas) a baixas (deprimidas).

Os períodos de estado de humor alto ou irritável denominam-se episódios maníacos. A pessoa torna-se muito activa, mas de uma forma desconcentrada e não produtiva, algumas vezes com consequências dolorosas ou embaraçosas. Os exemplos incluem gastar mais dinheiro do que é razoável ou envolver-se em aventuras sexuais de que mais tarde se vem a arrepender. Uma pessoa num estado maníaco está repleta de energia ou encontra-se mesmo irritável, pode dormir menos do que o normal e pode engendrar grandes planos que nunca poderiam realisticamente concretizar-se. A pessoa pode desenvolver pensamentos que não se coadunam com a realidade – sintomas psicóticos – tais como falsas crenças (delírios) ou falsas percepções (alucinações). Durante os episódios maníacos, a pessoa pode ter problemas com as autoridades. Se a pessoa apresentar sintomas mais ligeiros de mania e não apresentar sintomas psicóticos, a situação denomina-se “hipomania” ou episódio hipomaníaco. Leia o resto deste artigo »

Dicas sobre Saúde

Mais de metade das mães recentes são afetadas por sentimentos de tristeza e angústia, no entanto a maioria recupera em poucas semanas.

O café pode combater a depressão.

Fonte: 

Tradução e Edição de Imagem Científica:

 

O café pode combater a depressão

O café pode reduzir o risco de depressão nas mulheres, afirma um estudo de grandes dimensões, em que as pessoas que beberam café com cafeína apresentaram um risco mais baixo. As mulheres que ingeriram quatro chávenas por dia tinham um risco 20% inferior de apresentarem sinais de depressão em comparação com as mulheres que ingeriram café descafeinado ou que não ingeriram nenhum café. As mulheres que consumiram duas ou três chávenas por dia tinham um risco 15% inferior. O café foi igualmente associado a riscos mais baixos de acidente vascular cerebral, de diabetes tipo 2 e de doença de Parkinson. O estudo fez parte de um projecto de investigação de grandes dimensões denominado Nurses’ Health Study, que seguiu 51.000 mulheres. O estudo sobre o café foi publicado no número de 26 de Setembro da revista Archives of Internal Medicine e o HealthDay News escreveu sobre ele no mesmo dia.

Qual é a reacção do médico?

Ninguém gosta de ser atormentado. Mas frequentemente é isso que os médicos fazem aos seus doentes. Existem muitas “proibições” ― não fume, não beba demasiado, não aumente mais de peso. E, em seguida, existem as “obrigações” ― faça mais exercício físico, coma mais fruta e vegetais.
É refrescante ter alguma coisa boa para dizer sobre uma coisa que se costumava proibir. O café pode, na realidade, ser bom para si. Falamos do verdadeiro café, não o café descafeinado.
Investigadores acabaram de publicar um artigo onde é afirmado que as mulheres que bebem café com cafeína têm uma menor probabilidade de desenvolverem depressão, quando comparado com as que não bebem café ou que bebem apenas café descafeinado.

Leia o resto deste artigo »

Dicas sobre Saúde

Sabe lidar com o stress? Aprenda a fazê-lo efectuando escolhas mais saudáveis. Ligue a amigos ou familiares em vez de consumir calorias.

Dicas sobre saúde

Sente cansaço, falta de entusiasmo e pouca motivação para tarefas anteriormente interessantes? Estes podem ser alguns sintomas de depressão.