Dicas sobre Saúde

Contacte o seu médico sempre que um bebé com menos de dois  meses apresentar sintomas de gastroenterite.

Dicas sobre Saúde

A maior parte dos casos de gastroenterite duram cerca de dois a três dias, mas a criança pode continuar a apresentar fezes moles durante mais de uma semana.

Mitos e Crenças: A vacinação pode causar autismo nas crianças.

Prof. António Vaz Carneiro

Mitos e Crenças na Saúde: A vacinação pode causar autismo nas crianças. Neste vídeo, o Prof. António Vaz Carneiro alerta para a importância de vacinar as crianças, de acordo com o Plano Nacional de Vacinação, e explica a relação infundada entre o autismo e a vacinação.

Veja o vídeo aqui:

Dicas sobre Saúde

Sabia que os vírus constituem a causa mais comum de diarreia infeciosa nas crianças com menos de cinco anos de idade.

Obstipação

Dr. Pedro Azevedo

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobreObstipação” com Dr. Pedro Azevedo: Obstipação

Leia o texto do áudio aqui:

Embora a frequência normal das dejecções varie consoante o indivíduo, cerca de 95% dos adultos saudáveis apresentam um padrão que pode variar de três vezes por dia até três vezes por semana.
A obstipação é mais frequente acima dos 65 anos e define-se como uma frequência de dejecções menor do que a esperada ou fezes duras, secas e difíceis de expelir. Este sintoma está, na maioria dos casos, associado a um estilo de vida sedentário e a medicação ou a outros factores que desidratam e aumentam a consistência das fezes, causando desconforto à sua passagem, como seja dieta pobre em fibras ou ingestão insuficiente de líquidos. Existem doenças que se podem associar a obstipação, como é o caso das hemorróidas, síndrome do cólon irritável, cancro do cólon ou hipotiroidismo.
A maioria das pessoas com obstipação simples pode fazer o diagnóstico e tratar-se a si própria alterando o estilo de vida, praticando exercício e ingerindo mais líquidos. Se estas medidas não forem eficazes, a pessoa deve consultar o seu médico, principalmente se se associar sangue nas fezes, dores ou distensão abdominal. Na abordagem ao doente será necessária a realização de um toque rectal e eventualmente uma colonoscopia.

Leia o artigo aqui:

Diarreia do viajante

Fonte:

Tradão e Edição de Imagem

Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. Tiago Villanueva

Validação Científica:

Prof. Carla Rolanda

O que é?

A diarreia do viajante é uma infeção intestinal que afeta cerca de 50% das pessoas que visitam países em vias de desenvolvimento, e resulta da ingestão de alimentos ou água contaminados.

Esta condição é geralmente causada por bactérias (mais frequentemente a E. coli), mas pode ser provocada igualmente por vírus e parasitas. A diarreia geralmente não é grave e regride sem tratamento, no entanto, quando a diarreia é muito aquosa e ocorre com muita frequência pode ocorrer desidratação, que constitui o maior perigo da diarreia do viajante.

Leia o resto deste artigo »

Diarreia

Fonte:

Tradão e Edição de Imagem

Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. Nuno Ferreira

Validação Científica:

Prof. Carla Rolanda

O que é?

A diarreia consiste na presença de dejeções mais frequentes e mais líquidas do que o normal. Este problema é frequentemente causado por uma infeção gastrointestinal, por bactérias, vírus ou parasitas. As bactérias causam diarreia quer pela agressão da mucosa intestinal perturbando a absorção, quer pela produção de uma toxina que leva o intestino a segregar mais água. Quando a diarreia é causada por alimentos contaminados com bactérias ou com parasitas, as pessoas referem-se frequentemente a esta situação como intoxicação alimentar. Leia o resto deste artigo »

Diarreia associada aos antibióticos

Fonte: 

Tradão e Edição de Imagem

Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. Nuno Ferreira

Validação Científica:

Prof. Carla Rolanda

O que é?

Nas pessoas saudáveis, vivem no interior do intestino muitas espécies diferentes de bactérias. Um grande número destas são inofensivas ou mesmo úteis para o organismo, mas algumas têm potencial para causarem doença de forma agressiva. Em circunstâncias normais, as bactérias “más” são em muito menor número e o equilíbrio ecológico natural do intestino mantém-nas sob controlo. Esta situação pode ser alterada de forma dramática quando uma pessoa inicia tratamento com um antibiótico. Isto acontece pelo facto dos antibióticos poderem matar um grande número de bactérias normais do intestino, alterando o equilíbrio delicado entre as várias espécies. Na maior parte dos casos, o resultado é apenas um caso ligeiro de diarreia de curta duração que desaparece rapidamente depois do tratamento antibiótico terminar. No entanto, ocasionalmente, um antibiótico elimina um número tão grande de bactérias “boas” e inofensivas que as bactérias “más” agressivas ficam livres para se multiplicarem de forma descontrolada.

Leia o resto deste artigo »