Doença Bipolar

Diogo Medina

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobre “ Doença Bipolar” com o Dr. Diogo Medina:  Doença Bipolar

A Doença bipolar é uma perturbação mental caracterizada por alterações de humor que variam entre períodos de mania e depressão.

 Os períodos de mania correspondem a estados de humor elevado ou irritável, em que a pessoa pode demonstrar uma autoestima exageradamente grande, gastar mais dinheiro do que o razoável ou até envolver-se em aventuras sexuais imprudentes.

 Nos períodos depressivos, a pessoa tende a exibir um humor distintamente baixo, perdendo o interesse e prazer pelas coisas, perdendo o apetite e assinalando grandes dificuldades em dormir.

 Ao contrário da depressão, que atinge sobretudo as mulheres, a perturbação bipolar acontece quase de igual modo entre homens e mulheres, e atinge cerca de 4% da população.

 Não existe prevenção possível para esta doença. Contudo, podem obter-se ganhos significativos de qualidade de vida através do acompanhamento médico adequado, com uma combinação de psicoterapia e medicação farmacológica.

Leia o artigo aqui: Doença bipolar

Doença bipolar

Fonte:

 

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. João Relvas

O que é?

A perturbação ou doença bipolar, a que se costumava chamar doença maníaco-depressiva, é uma perturbação mental caracterizada por amplas alterações de humor que variam de altas (maníacas) a baixas (deprimidas).

Os períodos de estado de humor alto ou irritável denominam-se episódios maníacos. A pessoa torna-se muito activa, mas de uma forma desconcentrada e não produtiva, algumas vezes com consequências dolorosas ou embaraçosas. Os exemplos incluem gastar mais dinheiro do que é razoável ou envolver-se em aventuras sexuais de que mais tarde se vem a arrepender. Uma pessoa num estado maníaco está repleta de energia ou encontra-se mesmo irritável, pode dormir menos do que o normal e pode engendrar grandes planos que nunca poderiam realisticamente concretizar-se. A pessoa pode desenvolver pensamentos que não se coadunam com a realidade – sintomas psicóticos – tais como falsas crenças (delírios) ou falsas percepções (alucinações). Durante os episódios maníacos, a pessoa pode ter problemas com as autoridades. Se a pessoa apresentar sintomas mais ligeiros de mania e não apresentar sintomas psicóticos, a situação denomina-se “hipomania” ou episódio hipomaníaco. Leia o resto deste artigo »