Amenorreia

Dr. Pedro Azevedo

Oiça, em 1 minuto, o áudio sobreAmenorreia” com o Dr. Pedro Azevedo: Amenorreia

Leia o texto do áudio aqui:

As mulheres em idade fértil menstruam normalmente com intervalos de 23 a 35 dias.

Para que uma mulher tenha ciclos menstruais regulares há um circuito hormonal que deve estar adequado e a anatomia do útero e da vagina deve ser normal.

No caso de não haver menstruação dizemos que a mulher está em amenorreia. Por amenorreia primária entende-se o atraso na primeira menstruação até aos 16 anos e que é mais comum em adolescentes magras e atléticas. Por amenorreia secundária entende-se quando a mulher deixa de menstruar por 3 ou mais meses consecutivos, sendo a causa mais frequente a gravidez, contudo, alterações de peso, stress físico e emocional, interrupção da pílula e menopausa, são outras das causas.

No caso da amenorreia resultar de problemas hormonais, podem existir outros sintomas associados como excesso de pilosidade, acne, secreção de leite pelas mamas ou alteração do desejo sexual. Na abordagem da doente podem ser pedidas análises de sangue com níveis de hormonas e uma ecografia pélvica.

Na maior parte dos casos os problemas associados à amenorreia são reversíveis, mas deve contactar o seu médico se tiver 16 anos e não tiver tido o período menstrual ou se tiver falhado 3 períodos menstruais consecutivos.

Leia o artigo aqui: Amenorreia

A soja é considerada inútil na menopausa

Fonte:

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 


Leia o artigo aqui:

Um estudo recente revela que os suplementos de soja não reduzem os afrontamentos nem mantêm a resistência óssea nas mulheres após a menopausa. De facto, as mulheres do estudo que receberam soja acabaram por apresentar mais afrontamentos. O estudo incluiu 248 mulheres com idade compreendida entre os 45 e os 60 anos. Todas elas já tinham passado a menopausa. Elas foram distribuídas aleatoriamente por dois grupos. Um grupo recebeu suplementos contendo isoflavonas, uma componente da soja, durante dois anos. O outro grupo recebeu comprimidos de placebo (comprimidos sem substância ativa). No final do estudo, não se observou qualquer diferença entre os grupos no que respeita à maior parte dos sintomas de menopausa. Mas praticamente metade do grupo da soja tinha afrontamentos, em comparação com um terço do grupo do placebo. A perda óssea na coluna foi semelhante em ambos os grupos. Mas, nas mulheres com níveis baixos de vitamina D, as que receberam comprimidos de soja tinham realmente uma menor perda óssea. A revista Archives of Internal Medicine publicou o estudo e a HealthDay News escreveu sobre ele em 8 de agosto.

Leia o resto deste artigo »

As fumadoras podem entrar na menopausa mais cedo

Fonte:

Tradão e Edição de Imagem Científica:


Um estudo recente verificou que as mulheres que fumam tendem a atingir a menopausa um pouco mais cedo do que as não fumadoras. O estudo analisou 11 ensaios clínicos prévios que incluíram cerca de 6.000 mulheres. Em média, as não fumadoras alcançaram a menopausa entre os 46 e os 51 anos de idade. Em todos os estudos com exceção de dois, as fumadoras alcançaram a menopausa um pouco mais cedo, com uma média etária de 43 a 50 anos. Os investigadores analisaram igualmente cinco outros estudos que incluíram 43.000 mulheres. Elas foram agrupadas de acordo com o facto de terem tido uma menopausa “precoce” ou “tardia”. O limiar para uma menopausa “tardia” foi uma idade de 50 ou 51 anos. As mulheres que fumavam tinham uma probabilidade 43% maior de terem uma menopausa precoce. A menopausa precoce foi associada a um risco mais elevado de diversas doenças, como a doença cardíaca. Mas pensa-se que as mulheres com uma menopausa tardia têm um risco mais elevado de cancro da mama. A revista Menopause publicou o estudo na Internet e o serviço noticioso da Reuters Health escreveu sobre ele em 16 de outubro.

Leia o resto deste artigo »

Fibras: um cavalo de batalha?

Fonte:

Tradão e Edição de Imagem Científica:

 

Adaptação Científica:

Dr. André Carvalho

Validação Científica:

Prof. António Vaz Carneiro

Leia o artigo aqui:

Fibras: um cavalo de batalha

As fibras constituem uma forma de hidratos de carbono não digeríveis encontrados principalmente nos alimentos vegetais. Ao longo dos anos, as fibras têm sido utilizadas como uma potencial arma contra o cancro do cólon, o colesterol elevado e a doença cardíaca. Os benefícios para a saúde ostentados pelas fibras foram ligeiramente reduzidos com os achados de que não previnem os pólipos do cólon (precursores do cancro do cólon). Mas as fibras reduzem ligeiramente o LDL-colesterol, melhoram a resistência à insulina e estão associadas a uma taxa mais baixa de doença cardíaca, sendo consideradas um dos atributos dos alimentos mais importantes para a saúde.

Leia o resto deste artigo »

Amenorreia

Fonte:

Tradão e Edição de Imagem Científica:

Adaptação Científica:

Drª.Carolina Vaz Macedo

Validação Científica:

Prof. Dr Calhaz Jorge

O que é?

Amenorreia é o nome dado à ausência de menstruações numa mulher em idade fértil. As mulheres menstruam normalmente com intervalos de 23 a 35 dias.

O ciclo menstrual é regulado por uma estrutura do cérebro denominada hipotálamo, que estimula a hipófise (uma glândula situada na base do cérebro, imediatamente por baixo do hipotálamo).

A hipófise liberta duas hormonas que regulam o ciclo reprodutor feminino, a hormona luteínizante (LH) e a hormona folículo-estimulante (FSH).

A LH e a FSH influenciam a produção de estrogénios e de progesterona que, por sua vez, controlam as alterações cíclicas que ocorrem no revestimento do útero, incluindo a menstruação.

Para que uma mulher tenha ciclos menstruais regulares, o hipotálamo, a hipófise, os ovários e o útero devem estar a funcionar adequadamente e o colo do útero e a vagina devem igualmente apresentar uma anatomia normal.

Leia o resto deste artigo »